terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Vale confirma interesse de fazer ferrovia entre Vitória e Presidente Kennedy

20/12/2016 - Gazeta Online

A Vale apresentou ao governo federal a proposta para construir um novo trecho ferroviário no Espírito Santo ligando o Complexo de Tubarão, na Grande Vitória, a um dos terminais portuários projetados para Presidente Kennedy, no Sul do Estado.

A mineradora enviou, há quase dois meses, uma carta de intenções à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e as negociações fazem parte do processo para renovar a concessão da Vitória-Minas com vencimento previsto para 2026.

A ideia é usar o novo investimento para pagar a União pelo direito de permanecer como controladora da estrada de ferro que já está em operação por mais 30 anos.

Segundo o presidente da Vale, Murilo Ferreira, durante entrevista coletiva nesta segunda-feira (19) no Palácio Anchieta, a expectativa é fechar as negociações com o governo federal ainda no primeiro semestre de 2017 para que a companhia possa dar largada ao projeto e iniciar a construção da nova estrutura.

“Temos que trabalhar com a perspectiva de que 2026 não é amanhã, mas é depois de amanhã. Precisamos ter um alinhamento completo com as aspirações dos Estados onde trabalhamos. Por uma questão de data, ficar sentado confortavelmente numa poltrona, esperando para resolver isso em 2026, não é um gesto de uma empresa cidadã. Nós temos a nossa responsabilidade”, resumiu Ferreira ao afirmar ainda que tem sido intensamente cobrado pelo governo do Estado a se posicionar sobre o tema.

O presidente da Vale ainda acrescentou que as discussões sobre a extensão são acompanhadas também pelo secretário-executivo do Programa de parcerias de Investimentos, Moreira Franco, que tem apresentado “uma agenda positiva em relação a esse assunto”. “Feita essa renovação, tendo estabelecidos os termos dessa renovação, a Vale quer demonstrar o interesse em discutir profundamente a sua participação na extensão da ferrovia para que essa chegue até Presidente Kennedy, abrindo um novo vetor de desenvolvimento e logístico para o Espírito Santo”, acrescentou.

Serão 160 quilômetros a mais de ferrovia, caso a mineradora consiga firmar o acordo com a União, que será concluído em menos de seis meses, segundo o diretor de logística da Vale, Humberto Freitas. “A Vale já definiu o valor que poderá pagar pelo trecho Vitória-Minas. Nossa proposta é trocar esse valor pelo novo investimento”, explica Freitas.

Segundo o governador Paulo Hartung, essa negociação antecipada entre a Vale e a União tem sido possível devido à medida provisória das concessões, que regulamenta o Programa de Parceria de Investimentos (PPI), publicado em 25 de novembro pelo presidente Michel Temer. “Nós propomos ao governo federal que ao invés da Vale aportar dinheiro no Tesouro Nacional, ela faça um novo investimento com esse recurso, ampliando a extensão da Vitória-Minas, o que chamamos de um novo ramal da Vitória-Minas, pelo nosso litoral”.

O governador explica que a ampliação da ferrovia vai mudar a estrutura econômica do Estado, trazendo mais competitividade. “Precisamos tornar o Espírito Santo mais competitivo com portos, aeroportos e ferrovias adequados. O Sul do Estado precisa de injeção de dinamismo econômico”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário