quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Ferrogrão será colocada em licitação, revela Blairo Maggi; modal custará R$ 10 bilhões

19/08/2016 - Olhar Direto

A ferrovia Ferrogrão será colocada em licitação em breve pelo governo federal. O modal, que liga Sinop a Miritituba (PA), terá investimento próximo de R$ 10 bilhões. Sua construção é pretendida pelas principais tradings do agronegócio (ADM, Amaggi, Bunge, Cargill, Louis Dreyfus), consorciadas com a Estação da Luz Participações Ltda. (EDLP).

A informação é do ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi. Segundo ele, as licenças prévias para a obra da Ferrovia Ferrogrão, ligando Sinop a Miritituba (PA), já estão sendo providenciadas.

As obras da linha férrea devem começar ainda em 2019, com prazo de execução de cinco anos. O trecho é de 930 quilômetros e pode trazer para o agronegócio uma redução de aproximadamente 40% no frete.

A revelação do andamento do modal ocorreu durante reunião com o presidente do Partido Progressista (PP) de Sinop, Dalton Martini. A previsão é que R$ 10 bilhões sejam investidos no modal. A Ferrogrão faz parte do antigo Programa de Investimentos em Logística (PIL), do Governo Federal, e sua construção é de interesse das principais tradings do agronegócio Amaggi, ADM, Bunge, Cargill e Louis Dreyfus, e consorciada com a Estação da Luz Participações Ltda (EDLP). Juntas, as cinco tradings respondem por aproximadamente 70 das exportações de soja.

O Governo Federal vai colocar em pouco tempo uma nova ferrovia em licitação e que sairá de Sinop até Miritituba. Isso trará um grande desenvolvimento à região, afirmou Maggi durante o encontro, que ocorreu em Cuiabá. Segundo o ministro, grandes investimentos virão nesta direção.

A expectativa é que ainda neste segundo semestre de 2016 a Empresa de Planejamento e Logística (EPL), ligada à Secretaria do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), solicite ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) análise quanto à viabilidade ambiental da ferrovia.

Os estudos de viabilidade econômica, técnica e ambiental elaborados pela EDLP, que subsidiarão a elaboração do edital e do leilão do modal, já foram aprovados pelo Ministério dos Transportes.

A previsão é que pela Ferrogrão sejam transportados em torno de 15 milhões de toneladas entre soja, farelo de soja e milho, podendo vir a escoar 30 milhões.

Conforme Dalton Martini, que é candidato a prefeito de Sinop, a ferrovia trará progresso ao município. Ele destaca que será preciso, inclusive, preparar melhor a cidade, uma vez que com a obra mais moradores surgirão.

A proposta da ferrovia foi apresentada pela Amaggi, Cargill, Bunge e Louis Dreyfus no começo de 2014, como o Agro Olhar já comentou. O interesse das tradings apresentado na ocasião era para que Mato Grosso viesse a ter quatro ferrovias: Sinop ao porto de Miritituba (PA), Sapezal a Porto Velho (RO) e Água Boa, região do Araguaia, até a Ferrovia Norte-Sul, em Goiás. A quarta ferrovia trata-se da Ferronorte, cujos trilhos chegaram a Rondonópolis em 2013.

Nenhum comentário:

Postar um comentário