terça-feira, 25 de novembro de 2014

Ferrovia Norte-Sul precisa ser interligada a outras quatro ferrovias para integrar logística nacional

24/11/2014 - CNI

Quando concluída, a Ferrovia Norte-Sul consolidará a espinha dorsal do transporte ferroviário brasileiro. Mas é preciso antes tocar as obras de novas ferrovias e integrar a malha ferroviária para permitir o escoamento da carga oriunda do interior do país. Só o mercado exportador de grãos da região Centro-Oeste, por exemplo, passará a ter acesso a cinco portos da regiões Norte e Nordeste para embarcar cargas hoje movimentadas sobre rodovias. 

A conclusão é do estudo A Ferrovia Norte-Sul e a integração nacional, elaborado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O trabalho conclui que, uma vez finalizada, a via induzirá um grande crescimento no transporte de cargas do interior do país para exportação e na movimentação de cargas entre regiões do país. Os principais produtos a serem movimentados são soja, farelo e óleo de soja, milho, cana-de-açúcar, etanol, açúcar, papel, celulose e minerais. 

Para isso, o estudo considera necessário concluir a Ferrovia Transnordestina, que dará acesso aos portos de Pecém (CE) e de Suape (PE); a Ferrovia de Integração Oeste-Leste, que liga o interior da Bahia ao porto de Ilhéus (BA); construir a Ferrovia de Integração Centro-Oeste (Fico), entre Mato Grosso e Goiás, melhorando o transporte na principal região produtora de grãos do país.

O prolongamento da Ferrovia Norte-Sul entre Açailândia (MA) e Barcarena (PA), no entanto, é um dos passos mais relevantes para consolidá-la como grande eixo da logística nacional. Com este trecho, estabelece-se uma rota do centro do país até o porto de Vila do Conde (PA), importante saída para exportação marítima para a Europa e para a Ásia, pelo Canal do Panamá. Com este trecho, pode-se quintuplicar o volume de carga transportado na Norte-Sul, em 2013, que foi de 3 milhões de toneladas úteis .

Fonte: CNI
Publicada em:: 24/11/2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário