terça-feira, 25 de novembro de 2014

Ferrovia interoceânica fica mais barata se cortar a Bolívia, diz Morales

22/11/2014 - EFE

O presidente da Bolívia, Evo Morales, afirmou neste sábado que a construção na América do Sul de uma ferrovia interoceânica será mais barata se atravessar seu país, ao invés de unir diretamente os territórios de Brasil e Peru. "Se a ferrovia bioceânica passar pela Bolívia será mais curta e mais barata", garantiu Morales em entrevista coletiva na cidade de Cochabamba.
O governante fez o comentário a propósito de uma declaração recente do presidente do Peru, Ollanta Humala, que excluiu a possibilidade que a ferrovia passe por território boliviano. Humala disse que seu país, o Brasil e a China estudarão essa obra para integrar suas economias.

Por sua vez, Morales comentou neste sábado (22) que há dois projetos em debate para a construção dessa ferrovia na América do Sul com apoio financeiro da China, para unir os oceanos Atlântico e Pacífico, e insistiu que a opção pela Bolívia é a mais econômica.

O presidente boliviano acrescentou que China e Brasil estão surpreendidos pelo projeto que inclui a opção da Bolívia. Morales disse também que talvez os técnicos peruanos não tenham apresentado bons relatórios às autoridades de seu país, motivo pelo qual dará essa informação pessoalmente ao governo vizinho.

Nesse sentido, lembrou que está pendente uma reunião bilateral com seu colega peruano para tratar projetos de desenvolvimento. Em uma ocasião anterior, Morales disse que o projeto ferroviário pode custar entre US$ 10 bilhões e US$ 13 bilhões.


Nenhum comentário:

Postar um comentário