quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Santa Catarina ganhará ferrovia para escoar produção

15/10/2014 - Programa de Aceleração de Crescimento (PAC)

Foi assinado nesta quarta-feira (15), o Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA) do Corredor Ferroviário de Santa Catarina, que facilitará o escoamento da produção agrícola e industrial do estado pelo Porto de Itajaí. O corredor é chamado de 'Ferrovia do Frango' porque a avicultura (criação de aves para produção de alimentos) é uma atividade econômica forte nas regiões por onde passa.

A ferrovia terá 862 quilômetros de extensão e sairá da cidade Dionísio Cerqueira, no extremo oeste de Santa Catarina, até o Porto de Itajaí, atravessando todo o estado. Ela cruzará futuramente com o trecho sul da Ferrovia Norte-Sul (Chapecó SC - Rio Grande RS), que também está em fase de estudos.

O Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental é a base para a definição do traçado da ferrovia. Entre os parâmetros que compõem o estudo estão questões ambientais, geográficas, logísticas e econômicas. Além do EVTEA, está previsto a realização do projeto básico da obra.

"Todo o desenvolvimento industrial aqui dessa região, do oeste catarinense, vai ser muito beneficiado com a existência da ferrovia, reduzindo custos e melhorando a atratividade e a competitividade dos produtos aqui produzidos", afirmou a Miriam Belchior, ministra do Planejamento, durante a assinatura do contrato de autorização para dar início aos processos técnicos de viabilização do corredor ferroviário. "Esse é um movimento que o governo federal vem fazendo há muito tempo, de ampliar os investimentos em ferrovia para diversificar a nossa matriz de transporte, não ter tanto transporte de cargas por rodovia e sim por ferrovia. Eu acho que isso é fundamental para o desenvolvimento de Santa Catarina."

O ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, também participou do evento e destacou que outras obras na região vão contribuir para a infraestrutura logística, como as obras na rodovia BR 101 - Ponte de Laguna e o túnel do Morro do Formigão, além da quarta faixa nas proximidades do Morro dos Cavalos.

"Temos a clareza da importância da infraestrutura desenvolvida para o país e principalmente para as áreas mais dinâmicas que precisam contar com sistema de suporte e escoamento", afirmou Passos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário