quinta-feira, 2 de outubro de 2014

ANTT inspeciona obras de duplicação na EF Carajás

02/10/2014 - Revista Ferroviária

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) informou nesta quarta-feira (01/10) que realizou inspeção nas obras de duplicação da Estrada de Ferro Carajás (EFC), sob concessão da Vale. Durante os trabalhos de vistoria, realizada entre 22 e 26 de setembro, a equipe de fiscalização da ANTT percorreu trechos compreendidos entre Açailândia (MA) e São Luís (MA). Foram vistoriadas pontes, viadutos e trechos de superestrutura ferroviária de acordo com o projeto autorizado.

Esta foi a quinta vistoria da ANTT à EFC no ano. A agência ainda pretende realizar uma última vistoria no me de novembro. Além disso, a Vale deve encaminhar à ANTT um relatório mensal de monitoramento, com informações detalhadas sobre todo o empreendimento.

A Estrada de Ferro Carajás é responsável pelo transporte da produção da maior reserva de minério de ferro do país, em Carajás, até o Porto de Ponta Madeira, em São Luís (MA). A EFC transporta quase 120 milhões de toneladas de carga por ano.

O objetivo da duplicação é aumentar a capacidade logística da ferrovia, para suportar o incremento de produção de minério em decorrência do início de atividade de uma nova mina, batizada S11D e localizada no município de Canaã dos Carajás, no sudeste do Pará. A estimativa é de que a produção de minério transportada pela ferrovia alcance 230 milhões de toneladas por ano.

A duplicação será feita em 570 quilômetros dos 892 de extensão da ferrovia. Ao todo, serão duplicados 48 trechos entre São Luís (MA) e Parauapebas (PA). O projeto prevê, ainda, remodelação da superestrutura e infraestrutura de 55 pátios de cruzamento existentes, totalizando 226 quilômetros; construção de 43 pontes e viadutos; construção de viadutos ferroviários e travessias para as comunidades lindeiras à EFC; 68 instalações para apoio à operação e manutenção e substituição e ampliação dos sistemas de sinalização de controle ferroviário, energia elétrica e telecomunicação ao longo da ferrovia.

O projeto está orçado em R$ 8 bilhões e a conclusão das obras está prevista para o segundo semestre de 2018.

Nenhum comentário:

Postar um comentário