segunda-feira, 9 de junho de 2014

Estudo analisa trem de passageiros entre Viracopos e centro de Campinas

09/06/2014 - G1

Prefeitura quer contratar empresa para verificar viabilidade de ligação férrea. Estimativa é que sejam gastos R$ 1,5 milhão na fase de avaliação da rota.

A Prefeitura de Campinas contratará um estudo de viabilidade para um sistema de transportes sobre trilhos para passageiros entre o Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), e a região central da cidade. O secretário municipal de Administração, Silvio Bernardin, afirma que o governo federal já aprovou a verba de R$ 1,5 milhão para a contratação da empresa que fará a avaliação das possibilidades. "O estudo, que está em fase final de contratação, vai nos indicar as rotas possíveis na cidade e se será possível usar parte da estrutura do extinto VLT [Veículo Leve sobre Trilhos]", detalha.

O secretário afirma que a expectativa é ter o resultado do estudo de viabilidade até o fim deste ano, mas até lá não será possível mensurar valores da construção e definir a malha férrea para esse tipo de transporte, além de qual tipo de equipamento poderia ser usado. Em nota, a Prefeitura informou que já encaminhou para a Caixa Econômica Federal a documentação para a liberação da verba e aguarda o retorno do processo. Somente após a liberação da Caixa o processo licitatório para a contratação da empresa será aberto.

A concessionária que administra o Aeroporto Internacional de Viracopos afirmou que realizou algumas reuniões sobre a possibilidade de interligação do novo terminal até a região central da cidade. No projeto de expansão, está prevista uma estação para parada de trens próxima à área de circulação de passageiros, dentro do sítio aeroportuário, mas o detalhamento depende do estudo de viabilidade que for contratado, segundo a empresa.

Alternativas
O projeto tem como objetivo buscar alternativas para o transporte público de massa na cidade, que atualmente conta apenas com sistema de ônibus municipal e intermunicipal. O governo paulista também tem projeto do trem intercidades para o transporte de média velocidade entre a capital, litoral e interior paulista. O edital para a proposta, que será financiada pela iniciativa privada em modelo de Parceria Pública Privada (PPP), deve ser lançado em 2014, ainda sem data definida.

A proposta ainda não foi detalhada, a ideia é utilizar a área férrea já existente no eixo norte-sul, interligando Americana (SP) até Santos (SP), e no eixo leste-oeste, entre Sorocaba (SP) e Taubaté (SP). A primeira etapa de obras com 430 quilômetros de extensão teria início por Campinas, segundo o governador Geraldo Alckmin (PSDB), e na região passaria ainda por Americana, Nova Odessa (SP), Sumaré (SP), Hortolândia (SP), Valinhos (SP) e Vinhedo (SP), além de Jundiaí (SP) e São Paulo (SP).

Outra opção para o transporte coletivo da cidade são os corredores de ônibus do BRT (sigla de ônibus rápido, em inglês), que estão em fase final de projeto pela terceirizada contratada pela Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec). O projeto básico do BRT, segundo a Emdec, está concluído e em cerca de 30 dias será aberta fase licitatória para a parte executiva e obras. Uma das ideias é usar a antiga rota do VLT para o percurso.

Transporte de cargas
Em janeiro deste ano, a concessionária fez alterações no plano de ampliação e "agrupou" os três terminais de passageiros previstos para serem construídos no período de 30 anos. A mudança foi feita com base na possibilidade de desviar o traçado de uma linha férrea que passa dentro do sítio aeroportuário. No primeiro plano de ampliação aprovado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a concessionária não previa a obra e, por conta disso, os terminais de passageiros ficariam "espalhados" na área do aeroporto.

Fonte: Do G1 Campinas e Região 

Nenhum comentário:

Postar um comentário