domingo, 5 de janeiro de 2014

Ministro diz que não há como baixar custos de ferrovia ligando MT e GO

03/01/2014 - Cenário MT

A Fico será leiloada por meio do Programa de Investimento em Logística (PIL), que prevê investimentos da iniciativa privada perante concessão de exploração.

O ministro dos Transportes, César Borges, disse nesta sexta-feira, em entrevista a jornalistas, que não há como reduzir os investimentos da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico), como recomendado pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

Segundo Borges, o governo federal contestará as ressalvas do TCU ao leilão da ferrovia, que ligará os municípios de Lucas do Rio Verde, em Mato Grosso, e Campinorte, em Goiás. Borges tem expectativa de lançar o edital da concorrência no primeiro trimestre de 2014.

A ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, reafirmou recentemente que a construção dessa ferrovia é uma das prioridades do governo federal. A Fico será leiloada por meio do Programa de Investimento em Logística (PIL), que prevê investimentos da iniciativa privada perante concessão de exploração.

O trecho em questão, que tem início em Campinorte, cruzará o Estado de Mato Grosso no sentido Leste-Oeste e chegará a Lucas do Rio Verde, será construído a um custo estimado de R$ 4,1 bilhões, com a extensão de 901 quilômetros e previsão de conclusão em 2017.

No total, a Ferrovia de Integração do Centro-Oeste terá uma extensão de 1.638 km, partindo da Ferrovia Norte-Sul, em Campinorte, até chegar a Vilhena (RO). A totalidade da obra está orçada em R$ 6,4 bilhões e deve possuir três terminais de cargas: Água Boa, Santiago do Norte (Paranatinga) e Lucas do Rio Verde.

Fonte: CenárioMT

Nenhum comentário:

Postar um comentário