quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Projeto Centro-Oeste Competitivo aponta 3 eixos logísticos prioritários no MS

30/10/2013 - A Crítica

Para o governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli, o Centro-Oeste Competitivo aponta a necessidade de integralidade, de forma a beneficiar todos os Estados.

Por Lúcio Borges

Hidrovia Rio Paraguai, ALL Malha Oeste, no trecho entre Corumbá e Campo Grande, e Ferroeste, no trecho Maracaju e Dourados (MS) com Guaíra (PR) e Paranaguá (PR), foram apontados como os três eixos logísticos prioritários para receber investimentos até 2020 em Mato Grosso do Sul com o objetivo de garantir o escoamento ágil e eficiente da produção estadual, conforme levantamento do Projeto Centro-Oeste Competitivo, que teve a divulgação oficial da conclusão feita nesta terça-feira (29/10), em Brasília (DF), pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e pela Confederação da Agricultura e Pecuário do Brasil (CNA), em parceria com as federações da indústria e da agricultura e pecuária da região.

"De posse desses resultados, o próximo passo agora é preparar a equipe técnica para buscarmos alinhamento com o setor privado e conseguirmos investidores por meio de PPPs (Parcerias Público Privadas) para implantarmos as ações propostas no projeto, uma vez que o diagnóstico dos problemas e as possíveis soluções foram apenas a primeira fase do Centro-Oeste Competitivo", declarou o presidente da Fiems, Sérgio Longen, que falou em nome das federações da indústria e da agricultura e pecuária dos três Estados do Centro-Oeste (Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás) mais Distrito Federal. "A apresentação desses dados demonstra a união do Centro-Oeste em busca de soluções integradas para os gargalos existentes na região", reforçou, completando que no dia 11 de novembro a Fiems e a Famasul farão, em Campo Grande (MS), a apresentação dos dados com foto apenas em Mato Grosso do Sul.

Sérgio Longen acrescentou que apenas com a implementação das soluções apresentadas no Projeto será possível a manutenção dos índices elevados de crescimento registrados por Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e Distrito Federal. "O grande desafio agora é manter a parceria construída pelo setor produtivo, pois temos hoje em mãos uma ferramenta ideal para avançarmos na direção da melhoria da competitividade dos nossos produtos, mas, para isso, precisamos concretizar as soluções propostas", reforçou.

Para o governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli, o Centro-Oeste Competitivo aponta a necessidade de integralidade, de forma a beneficiar todos os Estados. "Esse projeto fará, a partir da implementação desses dados, uma modificação da noite para o dia em relação à competitividade dos produtos nos mercados mundiais. Mato Grosso do Sul já tinha seus projetos, mas a Fiems e a Famasul lideraram esse estudo de integralidade em todos os modais dos Estados do Centro-Oeste, fazendo com que essa nossa integração possa ser mais benéfica ainda a todos eles e em especial a Mato Grosso do Sul", avaliou.

Fonte: A Crítica

Nenhum comentário:

Postar um comentário