sábado, 5 de outubro de 2013

TCU libera a construção de mais 162 km da Ferrovia Oeste-Leste

04/10/2013 - A Tarde

Com orçamento estimado em R$ 775 milhões, as obras no lote 5 da Ferrovia de Integra­ção Oeste-Leste (Fiol) já po­dem ser retomadas. A libe­ração ocorreu anteontem pe­lo Tribunal de Contas da União (TCU). O trecho que cor­responde ao lote tem 162 qui­lômetros de extensão e vai do Riacho da Barroca, em Cae­tité, sudoeste baiano, ao iní­cio da Ponte do Rio São Fran­cisco. 

Sem data definida para a retomada da construção, o ministro dos Transportes, Cé­sar Borges, disse que agora só depende da Mendes Júnior, empresa responsável pela obra. 

"Mas devemos iniciar o mais rápido possível. Hoje te­mos que comemorar a deci­são do TCU, que ainda falta liberar o lote 5A (que corres­ponde à construção da ponte próximo a Bom Jesus da La­pa), e também os lotes 6 e 7", disse o ministro. 

Os lotes 2 a 4 da Fiol, entre os municípios baianos de Jequié e Caetité, estão com a construção em andamento. Já o lote 1 é o que está mais atra­sado. "Este lote estava parado por uma questão judicial com a construtora responsável. Um acordo foi feito e as obras retomadas em agosto últi­mo", explica o ministro. 

Ele ressalta que hoje é pre­ciso apenas a liberação do TCU para a construção pros­seguir nos demais lotes, já que todos eles já estão com a licença ambiental. 

PAC 

A construção da Fiol faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e é uma alternativa de transporte pa­ra atender às necessidades das regiões produtoras de mi­nério de ferro de Caetité e Tanhaçu, no sul da Bahia, e as produtoras de grãos no oeste da Bahia e no sudeste do To­cantins. A Ferrovia formará um corredor de transporte que otimizará a operação do Porto Sul, em Ilhéus. 

O empreendimento possui 1.527 km de extensão e en­volve investimentos estima­dos em R$ 7,2 bilhões, até 2014. Conforme dados da Valec, estatal responsável pelas obras, o projeto da construção também contribui para a ge­ração de empregos. Hoje são 7.200 pessoas atuando dire­tamente na obra. 


Fonte: A Tarde
Publicada em:: 04/10/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário