segunda-feira, 1 de julho de 2013

Governo ES quer ligar portos capixabas à ferrovia Vila Velha - Rio de Janeiro

26/06/2013 - Folha Vitória

Projetos que contemplam a ligação de portos capixabas por meio de ramais com a Estrada de Ferro (EF-118), que tem como traçado inicial Vila Velha-Rio de Janeiro, serão apresentados nesta quinta-feira (27) pelas secretarias de Estado dos Transportes e Obras Públicas (Setop) e de Desenvolvimento Econômico (Sedes) à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) em Brasília.

A implantação da Ferrovia EF-118, que cortará o Espírito Santo e terá ligação com o Estado do Rio de Janeiro, foi anunciada durante o lançamento do Programa de Desenvolvimento Sustentável (Proedes) - Integração Logística e faz parte das articulações do Governo do Estado. O investimento estadual é da ordem de R$ 3 bilhões para estimular o desenvolvimento de forma igualitária em todas as regiões capixabas.

Quanto às ferrovias, a maior parte dos recursos será destinada por meio do Governo Federal e da iniciativa privada, mas o Estado participa ativamente dos grupos técnicos que vão definir seus traçados. Além disso, tem condições de pleitear alterações e sugerir mudanças nos projetos.

O subsecretário de Logística de Transportes da Setop, Valdir Antônio Uliana, afirmou que o Espírito Santo irá pleitear a construção de ramais do Porto Norte Capixaba (Manabi), em Linhares, e do Porto Central, em Presidente Kennedy, até a EF-118. Aprovada a iniciativa serão muitos os benefícios para o Estado, desde a geração emprego e renda para as regiões envolvidas até ampliação do potencial capixaba para o comércio exterior.

"A ANTT irá reunir as opiniões, sugestões e contribuições de maneira geral para a confirmação do projeto, que deverá ser apresentado pela Agência na sexta-feira (28) durante reunião participativa, que será realizada em Vitória e aberta ao público. Esta medida é importante e interessa a todos. Os portos já têm projetos finalizados, hoje aguardam o licenciamento ambiental e logo serão implantados. Os ramais que estamos sugerindo vão movimentar a economia nas cidades e gerar vagas de emprego", disse o subsecretário. A subsecretária de Comércio Exterior e Relações Internacionais da Sedes, Mayhara Chaves também participará da reunião na ANTT nesta quinta-feira.

Eixo Ferroviário

Ligando um extremo a outro do país, a malha ferroviária é um importante canal de trânsito de cargas e representa a ampla oportunidade de exportação de produtos capixabas para o mercado internacional. Em negociação constante com o Governo Federal, o Espírito Santo conquistou uma de suas principais reivindicações e terá duas ferrovias de destaque em seu mapa, que representam investimento da ordem de R$ 24 bilhões, por meio das ferrovias EF 118 (Vila Velha – Rio de Janeiro).

Anunciadas pela presidente Dilma Rousseff são esperadas a construção da Estrada de Ferro (EF) 118 Vila Velha-Rio de Janeiro e da Estrada de Ferro (EF) 354 Campos-Goiás com extensão até Mato Grosso e futuramente ao Pacífico (Peru). As obras serão realizadas pela União em parceria com a iniciativa privada.

Ambas, quando prontas, vão promover o desenvolvimento em municípios do interior facilitando o transporte de cargas pesadas, o acesso a empreendimentos portuários e às rodovias estaduais. A meta é estimular negócios que envolvam os segmentos de siderurgia, de petróleo e gás, de agronegócios e das indústrias naval e metalmecânica com grandes cadeias produtivas fortalecendo alianças regionais.

Proedes - Integração Logística

Levar o desenvolvimento para todas as regiões e ser capaz de superar os desafios da economia nacional. Com este foco, o Governo do Espírito Santo lançou no mês de maio o Programa de Desenvolvimento Sustentável (Proedes) – Integração Logística. O maior investimento já realizado na área de logística reúne novas rodovias, instalação de aeroportos regionais, ferrovias e portos que vão ligar os capixabas ao resto do mundo. O investimento é da ordem de mais de R$ 3 bilhões.

Dentro do Integração Logística está sendo colocado em prática um conjunto de projetos para unir os modais de transporte, dentre eles o rodoviário, aeroportuário, ferroviário e portuário criando uma ligação do Espírito Santo com o Brasil e o mundo, tornando o Estado competitivo, eficiente e rentável. A estimativa é que tudo isso se torne realidade até 2020.

Fonte: Folha Vitória

Nenhum comentário:

Postar um comentário