segunda-feira, 3 de junho de 2013

Mantido ramal ferroviário em Brasilândia e Bataguassu

03/06/2013 -  Jornal Dia a Dia 

Mapa mostra traçado da Norte-Sul que passará pelo Bolsão


O Governo Federal não vai alterar o projeto de implantação de dois ramais da Ferrovia Norte Sul em Mato Grosso do Sul, segundo o diretor da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), Bernardo Figueiredo, que no último dia 28 se reuniu com parlamentares e prefeitos durante audiência em Brasília.

“Esta descartada qualquer mudança no trajeto. A Estrada de Ferro 267 vai sair de Panorama (SP), seguir para Estrela do Oeste (SP) e depois entrar por Mato Grosso do Sul, passando por Brasilândia, Santa Rita do Pardo, Bataguassu, Nova Andradina, Angélica, Deodápolis e Dourados. Também está confirmada a construção da Estrada de Ferro 484, que vai de Maracaju, pelo Cone Sul do nosso Estado, até o interior do Paraná”,  disse o senador Delcídio do Amaral (PT/MS).

Segundo o senador, o traçado de dois ramais estava ameaçado porque o governo de São Paulo e parlamentares paulistas fizeram gestões junto ao Ministério dos Transportes para que os novos ramais ficassem restritos ao estado vizinho.

De acordo com o senador, na modelagem confirmada pelo Ministério dos Transportes, Dourados vai se tornar um grande entroncamento ferroviário. A ideia é licitar a construção dos novos ramais em setembro para que até o final do ano sejam anunciados os ganhadores dos leilões, para início das obras no ano que vem.

Frente Parlamentar

De acordo com o deputado Geraldo Resende (PMDB-MS), vice-presidente da Frente Parlamentar das Ferrovias, que participou da audiência da bancada com Bernardo Figueiredo, o lobby dos parlamentares paulistas visavam assegurar um ramal ligando as cidades paulistas de Presidente Epitácio e Rosana a Cascavel, no Paraná. Segundo Geraldo Resende, o presidente da EPL garantiu que a chance de se mudar o traçado entre Estrela d’Oeste e Dourados é zero. “A solicitação da bancada paulista será contemplada em outro projeto”, explicou Bernardo Figueiredo.

Participaram da audiência na sede da EPL em Brasília os senadores Ruben Figueiró (PSDB) e Delcídio do Amaral (PT); os deputados federais Geraldo Resende, Vander Loubet (PT), Reinaldo Azambuja (PSDB), Antônio Carlos Biffi (PT); e os deputados estaduais Laerte Tetila (PT), Mara Caseiro (PT do B), Zé Teixeira (DEM), Felipe Orro (PDT), Amarildo Cruz (PT), Dione Hashioka (PSDB) e Márcio Monteiro (PSDB).

O projeto da ferrovia que ligará Estrela d’Oeste e Panorama (SP) a Dourados consta no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e foi apresentado em reunião participativa (audiência pública) realizada em Dourados no último dia 6 de maio, em evento organizado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e a EPL.

Esse ramal será licitado ainda este ano para a concessão de administração e construção. A previsão é de que os primeiros vagões já estejam transitando nesta estrada de ferro em 2019. A ferrovia vai atravessar, além de Brasilândia, Santa Rita do Pardo e Bataguassu, as cidades de Nova Andradina, Angélica e Deodápolis.

Entroncamento
Outra ferrovia que ligará os municípios de Mato Grosso do Sul com os principais portos do país está sendo planejada para sair de Maracaju passando por Dourados e chegando até Lapa, no Paraná. Com isso, o município de Dourados será um entroncamento de dois grandes ramais ferroviários.

Nenhum comentário:

Postar um comentário