terça-feira, 14 de maio de 2013

Sorriso quer integrar traçado da ferrovia Mato Grosso-Pará


1405/2013 - O Documento

O traçado inicial previa 1,6 mil quilômetros de trilhos e com a inserção de Sorriso, a extensão aumentaria para dois mil quilômetros.

O município de Sorriso deve ser inserido no novo projeto de integração logística para escoamento da safra agrícola, que compreende o trajeto Mato Grosso/Pará. Técnicos da Assembleia Legislativa, responsáveis pela elaboração do esboço da proposta, estiveram na última semana em Sorriso, onde proferiram uma palestra sobre o assunto aos produtores da região.

Para a presidente da Câmara de Vereadores de Sorriso, Marilda Savi (PSD), organizadora da palestra, o trajeto Mato Grosso/Pará, para ser justo e interessante economicamente, tem que ter Sorriso como ponto de partida, já que o município responde por pelo menos 3% de toda a produção de grãos do País e não está contemplado no projeto inicial, que prevê a construção da ferrovia a partir de Água Boa, na região do Araguaia, até o Porto de Espadarte, no Pará.

“Nós queremos que se priorize Sorriso, que esse trajeto se inicie aqui e disso nós não abrimos mão, pois somos hoje o maior produtor de grãos do Brasil. Além disso, todos os municípios vizinhos terão o privilégio de contar com a Ferrovia a partir de Sorriso”, salientou a presidente Marilda.

O traçado inicial previa 1,6 mil quilômetros de trilhos e com a inserção de Sorriso, a extensão aumentaria para dois mil quilômetros, usando um trajeto que ligaria Sorriso ao município de Canarana, no Araguaia.

Conforme o arquiteto e urbanista, André Nóbrega, um dos palestrantes, “o município de Sorriso está geograficamente localizado no centro do Estado” e é possível fazer com que o projeto possibilite o escoamento da safra por essa nova via, num raio de até 500 quilômetros.

De acordo com o coordenador do projeto, Nelson Abdala, a oportunidade dada pela presidente da Câmara de Sorriso, Marilda Savi, foi fundamental para levar os esclarecimentos aos produtores locais, uma vez que investidores estrangeiros já estariam interessados em investir na obra, principalmente se contemplar Sorriso, por ser o maior produtor de grãos nacional.

“A presidente Marilda está certa em ser taxativa nessa exigência e o deputado Mauro Savi (PR) também já nos manifestou interesse, aprovação e apoio a esse novo projeto, que, a nosso ver, coloca Sorriso no centro desse raio, o que vai beneficiar todo o Estado produtor de grãos, porque nenhuma outra cidade produtiva estará a mais de 400 quilômetros e seguramente Sorriso se tornará o maior centro de exportação do País”, destacou Abdala.

Segundo secretário de Agricultura e Meio Ambiente de Sorriso, Afrânio Migliari, o escoamento da produção agrícola do município e região, precisa urgente de alternativas viáveis que reflitam diretamente no preço do frete marítimo e também do terrestre, que vem assolando os produtores devido à precariedade da conservação das rodovias estaduais e federais. “Sorriso é bola da vez, que esse projeto nasça aqui ou que passe por aqui. O que nós precisamos é de logística para a saída dos nossos grãos com a diminuição dos custos do frete”, apontou.

Na avaliação do prefeito de Sorriso, Dilceu Rossato, o novo traçado fará do município um polo, que absorveria toda a produção de grãos em um raio de 450 quilômetros nos arredores de Sorriso. “Com esses dois mil quilômetros de ferrovia, nesse novo modal de transporte, teremos o barateamento de frete, o que vai viabilizar totalmente nossa produção, pois hoje nós somos bons produtores, mas o nosso custo de logística é muito pesado”, disse Rossato. (www.facebook.com/nf365)

Fonte: O Documento 

Nenhum comentário:

Postar um comentário