sábado, 11 de maio de 2013

Ferrovia do Frango começam em dois anos entre Dionísio Cerqueira e Itajaí


11/05/2013 - Diário Catarinense

A Ferrovia da Integração, também conhecida como Ferrovia do Frango, começará a ser construída em dois anos e terá um traçado de 862 quilômetros entre Dionísio Cerqueira e Itajaí.

O traçado foi confirmado pelo ministro dos Transportes, Cesar Borges, que esteve ontem em Chapecó para a assinatura do edital de lançamento do Estudo de Viabilidade Técnica e Ambiental (EVTEA) da ferrovia. A ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, e o presidente da Valec, Josias Sampaio, participaram do ato que reuniu lideranças na sede da Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC). O ministro justificou a escolha do trajeto ao afirmar que o traçado até o Porto de Itajaí é mais barato e oferece melhor logística. O presidente da Frente Parlamentar das Ferrovias, Pedro Uczai, disse que o trajeto deve passar por Chapecó, Herval do Oeste e Santa Cecília. Mas o percurso pode variar em torno de 30 quilômetros ao Norte ou ao Sul deste eixo central. O estudo deve apontar três traçados prováveis, todos próximos destes municípios.

Projetos custarão R$ 68 milhões

Cesar Borges disse que o EVTEA deve ficar pronto em um ano. Em seguida será elaborado o levantamento aerofotogramétrico (foto aérea para avaliação do terreno) e o projeto básico. Uczai disse que o edital contempla os três trabalhos, com custo estimado de R$ 68 milhões e previsão de conclusão de 22 meses. A empresa vencedora deve ser conhecida no dia 26 de junho e a expectativa é de que em dois anos seja licitada a obra que deve ser concluída em 2019. Segundo Borges, a obra em si deve custar R$ 4 bilhões.

O ministro dos Transportes disse que a concessão ficará a cargo da iniciativa privada, mas o direito de passagem deve ficar com a Valec que, por ser uma empresa governamental, estimulará a concorrência. A intenção é implantar um trem com velocidade de 80 quilômetros por hora, o que reduziria o custo das cadeias produtivas entre 30% e 50%.

Para o presidente da Associação Comercial e Industrial de Chapecó, Maurício Zolet, a construção da ferrovia é fundamental para o desenvolvimento da região. Ele disse que a partir de agora as entidades vão acompanhar e cobrar a execução da obra.

O ministro aproveitou a oportunidade para lembrar que já está em estudo o traçado da Ferrovia Norte-Sul, ligando Panorama (SP), Chapecó (SC) e Rio Grande (RS), que é outra importante obra para ligar Santa Catarina ao Sudeste brasileiro.

A meta do governo federal é expandir de 29 mil quilômetros para 40 mil a malha ferroviária no país até 2020. Estão previstos investimentos de R$ 200 bilhões em ferrovias até 2025 para construção, recuperação, estudos e projetos. Desses, R$ 33 bilhões serão direcionados ao sul do Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário