terça-feira, 7 de maio de 2013

Famílias serão remanejadas para revitalização da Estrada de Ferro

05/05/2013 - G1

Famílias que ocupam a região ao longo dos trilhos terão que sair do local. Obra deve ser concluída até outubro de 2014, segundo a prefeitura.


Curta nossa página no facebook

As famílias que ocupam a região ao longo dos trilhos da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré (EFMM), em Porto Velho, serão retiradas do local para o início da obra de revitalização do trecho que compreende a Igreja Santo Antônio até o cemitério da Candelária. O prazo para conclusão da obra é outubro de 2014. Um acordo foi firmado entre prefeitura de Porto Velho e concessionária Santo Antônio Energia para resolver o impasse que impedia a continuação das revitalizações. O barracão onde funciona a oficina de máquinas será entregue em dois meses.

De acordo com a Secretaria Municipal de Densenvolvimento Socioeconômico e Turismo (Semdestur), a falta de acordo sobre desapropriação das famílias impedia a continuação da revitalização iniciada em 2007. Eduardo Servo, secretário adjunto da Semdestur, explica que houve redução no número de famílias que serão realocadas, devido a mudanças na faixa de domínio em cada lado dos trilhos.

"Então, a maioria das famílias vão ficar no local. O governo e a prefeitura vão assumir essa retirada das famílias e a gente vai dar início às obras", diz Servo. A faixa de domínio em cada lado dos trilhos foi reduzida pelo Insituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) de 20 metros para cinco metros, segundo a Semdestur.

Servo afirma que a revitalização da Igreja Santo Antônio deve ser concluída até o final deste mês. "E agora, a terceira parte que vai ser essa revitalização que a gente acredita que até o final do ano que vem, no centenário a gente possa estar com o trem funcionando e fazendo uma grande festa".

Para o Iphan, este é o primeiro passo para a execução do acordo de compensação das usinas. "Toda a revitalização não teria sentido se o trem não voltasse a fazer o seu passeio, porque se refere ao complexo da estrada de ferro que é a memória da nossa cidade", diz Alberto Bertagna, superintendente do Iphan. www.facebook.com/nf365

A prefeitura não informou a data para começar a retirada das famílias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário