segunda-feira, 15 de abril de 2013

Valec relicita obras que faltam e garante trecho pronto até Anápolis em dezembro


15/04/2013 -Valor Econômico

A Valec promete dar um fim ao embaraço da Ferrovia Norte-Sul. Até dezembro deste ano, garante o presidente da estatal, Josias Cavalcanti, estará pronto para operação o trecho de 855 km de extensão entre as cidades de Palmas (TO) e Anápolis (GO). Quatro licitações acabam de ser lançadas para resolver as obras remanescentes da ferrovia. Para ganhar tempo, a Valec optou pelo Regime Diferenciado de Contratação (RDC), modelo que dribla etapas tradicionais do ritual licitatório e promete um resultado mais rápido. Uma das propostas já foi aberta e o contrato foi firmado em fevereiro. Outros três contratos têm previsão de serem assinados ainda neste mês, para que as obras comecem, efetivamente, em maio, quando termina o período das chuvas. O trecho já teria 88% de suas obras prontas.

"Temos enfrentado os problemas de frente. É verdade que realmente existem pendências para serem resolvidas, mas estamos trabalhando para dar um jeito nessa situação o mais rápido possível", disse Cavalcanti.

Os desafios não se esgotam no trecho até Anápolis. A "extensão Sul" da ferrovia, que liga Ouro Verde de Goiás (GO) à Estrela D'Oeste (SP), já tem obras em andamento, mas a sua execução depende da compra de trilhos. O material que a Valec tinha em estoque está esgotado. Há dois anos, a estatal tenta, sem sucesso, adquirir os lingotes de aço que precisa para forrar esse novo traçado, mas a licitação internacional emperra em problemas técnicos e brigas judiciais. Neste momento, não há previsão sobre quando a Valec conseguirá comprar os trilhos. O Brasil, um dos maiores produtores de minério de ferro do mundo, não produz esse tipo de material.

Nenhum comentário:

Postar um comentário