quinta-feira, 7 de março de 2013

Ministério dos Transportes e governo estadual tentam acordo para ferroanel

21/02/2013 - Rede Brasil Atual

Por Eduardo Maretti, da Rede Brasil Atual

São Paulo – O secretário estadual de Logística e Transportes de São Paulo, Saulo de Castro Abreu, e o ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, reuniram-se na tarde de hoje (21), em São Paulo, para tentar chegar a um acordo para a execução do trecho norte do ferroanel paralelamente à construção do trecho norte do rodoanel.

O ferroanel, que ligará o bairro paulistano de Perus (zona noroeste) ao município de Itaquaquecetuba, município localizado na região leste do estado, com 54 quilômetros de extensão, é responsabilidade do Ministério dos Transportes.

"Estamos dando uma prioridade grande à construção do tramo (trecho) norte do ferroanel porque nesse momento o estado de São Paulo se prepara para iniciar as obras do rodoanel norte. E parte do traçado norte do ferroanel é coincidente. Buscamos encontrar junto com o governo do estado de São Paulo formas de obter a melhor sinergia, fazendo as obras de terraplenagem desse trecho". O governo paulista e federal ainda não chegaram a um acordo.

Dos 54 quilômetros do ferroanel norte, 45 estariam nessa "faixa coincidente" de rodovia e ferrovia. Se der tudo certo e os governos paulista e federal chegarem a um acordo, as obras serão iniciadas em agosto próximo e vão até 2015. Segundo o secretário Saulo Abreu, se o governo federal não entrar na parceria, ao invés de R$ 2,4 bilhões, os custos chegariam a R$ 3,9 bilhões. A diferença seria decorrente da necessidade de licenciamentos ambientais, verbas indenizatórias e de infraestrutura diferentes para o rodoanel e ferroanel, o que não ocorreria se os dois projetos corressem paralelamente desde o início.

"O ferroanel sul poderia ter sido feito com o rodoanel sul, o que não aconteceu. Não queremos cometer o mesmo erro, mas aproveitar canteiro de obra, otimizar recursos, fazer a coisa mais rápido. Com o rodoanel norte, vamos começar tudo do zero", diz Saulo Abreu. De acordo com ele, se as obras começarem depois não estarão prontas em 2015. Na semana que vem haverá nova reunião em Brasília para tentar chegar a um acordo.

Se a parceria for fechada, ela começa pela economia na terraplenagem do trecho coincidente entre a ferrovia e a rodovia norte.

Segundo o ministro dos Transportes, a assinatura do contrato depende da "análise das alternativas que discutimos hoje, possamos definir conclusivamente qual é a alternativa mais adequada", disse Paulo Sérgio Passos. "Isso esperamos nos próximos dias ter essa definição."

Fonte: Rede Brasil Atual

Nenhum comentário:

Postar um comentário