quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Trem-bala será feito com ou sem participação privada, diz EPL

Trem-bala 05/02/2013 - Reuters

Uma possível baixa participação privada na construção de infraestrutura para o trem-bala não inviabiliza o projeto que ligará Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro, afirmou o presidente da EPL (Empresa Brasileira de Logística), Bernardo Figueiredo.

"Nós estamos buscando trazer o máximo da participação privada, mas não colocamos isso como condição para fazer o projeto. Com a participação privada que for possível, nós vamos implementar esse projeto", disse ele, durante evento em São Paulo.

Em setembro, o governo realizará a licitação para selecionar a tecnologia que será usada para operar o trem de alta velocidade. As propostas serão apresentadas em agosto.

De acordo com Figueiredo, as empresas privadas --que vão participar da licitação--vão atuar na operação e no fornecimento de equipamentos, mas dependem da infraestrutura a ser construída.

"Nós vamos tentar modelar isso para atrair a participação privada, mas nós não podemos deixar que o investidor sinta que há o risco de não ter infraestrutura. Caso não haja interesse da iniciativa privada, o governo vai fazer a infraestrutura", completou.

Para Figueiredo, o trem-bala é essencial para o país, já que a demanda nesse trecho é alta.

"(Sem o trem-bala) Teria que ter mais duas rodovias e dois ou três aeroportos como Congonhas e Santos Dumont. Isso não é viável", disse.

Fonte: Reuters
Publicada em:: 05/02/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário