segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

MRS: Ferrovia do Aço com nova sinalização

29/11/2012 - MRS

O projeto de implantação de um novo sistema de sinalização da Ferrovia do Aço foi finalizado, no dia 14 de novembro, com a entrega do trecho de Bom Jardim. Em 18 meses, foram sinalizados 35 pátios, totalizando 360 quilômetros de ferrovia. "Encontramos diversos desafios, desde os mais simples como 'colocar nomes nos novos pátios, até os desafios mais complexos, com o envolvimento de diversas áreas da empresa", explica Cândido Frias, Gerente Geral de Projetos Especiais.

Para 2013, o desafio será a implantação do sistema no trecho entre Pombal e Guaíba, com início em dezembro deste ano. Considerando as atividades que serão desenvolvidas neste trecho, e principalmente nas especificidades ferroviárias da região como linhas duplas, complexidade de layout da via, operação em serra, tráfego ferroviário bidirecional e envolvimento com a comunidade local,estão sendo realizados workshops envolvendo as áreas de Via Permanente, Eletroeletrônica, PCM, Segurança Patrimonial, CCO e TI para compartilhar as lições aprendidas na Ferrovia do Aço e melhorar o processo para os próximos comissionamentos, "garantindo não só um bom trabalho, mas a segurança de todos os envolvidos", afirma Cândido.

Conheça um pouco mais sobre as etapas do projeto

- Discretização dos circuitos de via, a cada 3Km aproximadamente, e definição adequada do posicionamento dos novos sinais.

- Substituição de toda a sinalização do Pátio P1-07, com duração de cinco dias para ajustes dos equipamentos e preparação para interligar os trechos de Jeceaba e Caetano Lopes (alça dupla RR-224).

- Atividades dentro "Tunelão" com a discretização dos circuitos de via, a colocação de novos sinais no seu interior e testes para garantir a segurança da operação.
- Nova sinalização em Bom Jardim.

- Sinalização de toda Frente Norte – sete pátios receberam nova sinalização mudando significativamente a forma de operação dos trens no trecho.

- Trabalho conjunto com as Gerências Gerais de Operação, CCO, Infraestrutura, Engenharia de Transportes, Malha, Engenharia e Manutenção Eletroeletrônica e Tecnologia da Informação para sinalização de novas linhas, eliminação de restrições operacionais em alguns pátios para melhorar o desempenho da operação, colocação de talas e novos pontos de fibra óptica em diversos pontos.

- Estudos para tornar o sistema do CCO compatível com duas tecnologias de sinalização. Foi criado um servidor para traduzir a comunicação do campo (a linguagem ou protocolo da nova tecnologia do campo) para a linguagem existente anteriormente e alterada a forma como o sistema do CCO interpreta a ocupação do trem com a nova tecnologia, além de treinamento das equipes de manutenção para utilizar o circuito de via codificado.

"A logística envolvida considerando o relevo da região como túneis e viadutos, a programação dos intervalos e a dificuldade de acessos e de comunicação também fazem parte dos desafios encontrados para atingirmos este significativo marco. Mas o maior desafio é a integração entre as áreas; é fazer todo mundo mirar e buscar o mesmo objetivo", finalizou Cândido.







« Voltar


As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do site Revista Ferroviária.

Notícias Relacionadas
LLX anuncia novo presidente
Grupo Orsa quer sócio para projeto da Jari
TTrans entrega 1º bonde de Santa Teresa no final de 2013



Enviado via iPhone

Nenhum comentário:

Postar um comentário