segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Governo quer padronizar sinalizações ferroviárias

29/11/2012 - ANPTrilhos

Padrão ideal de comunicações e sinalizações para o transporte ferroviário no Brasil. Este foi o principal objetivo do seminário Internacional de Sinalização e Comunicação Ferroviária, realizado entre os dias 27 e 29 de novembro, na sede da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), em Brasília. Especialistas europeus, americanos, australianos, japoneses e franceses se juntaram aos especialistas brasileiros para debater o sistema de sinalização e comunicação que poderá promover a interoperabilidade entre as operadoras ferroviárias do País.

Para aumentar a segurança, a velocidade permitida dos trens e a produtividade, o diretor da ANTT, Jorge Bastos, explicou que é preciso investir no aperfeiçoamento e padronização dos sistemas de comunicações e sinalizações do transporte ferroviário.

Na cerimônia de abertura, Bastos ressaltou que as ferrovias brasileiras possuem uma grande variedade de sistemas, alguns bastante modernos e outros muito arcaicos. Por isso ele acredita que o seminário, promovido pela ANTT, Ministério dos Transportes e apoiado pela Associação Nacional de Transporte de Passageiros sobre Trilhos (ANPTrilhos), é uma excelente oportunidade para debater a uniformização dos sistemas. "O objetivo do seminário é contribuir para que possamos chegar a um padrão bom para todos", frisou.

No último dia do evento foi formado um Comitê, composto pelas empresas e entidades do segmento ferroviário, que se reuniu com os representantes da Europa, dos Estados Unidos, da Austrália e do Japão para dar continuidade à discussão dos padrões utilizados nessas regiões e que poderá servir de modelo para o Brasil.

Modernização

A Supervia, empresa associada à ANPTrilhos, está entre as operadoras que possui um dos sistemas mais modernos de sinalização e comunicação ferroviária do Brasil. João Goveia, diretor de Operações da Supervia e diretor Técnico da ANPTrilhos, afirmou que a companhia procurou adequar seu sistema de sinalização à complexidade exigida pelo setor metroferroviário. "Migramos para um Centro de controle (CCO) totalmente moderno, com telas dinâmicas e nível elevado de movimentação segura ao longo da via, que permite a comunicação direta do CCO com os passageiros que estão dentro do trem".

Goveia propôs à ANTT e ao setor ferroviário a criação de uma entidade voltada para a homologação dos sistemas de sinalização e comunicação ferroviária.

Segundo Goveia, essa entidade ficaria responsável por certificar os sistemas e averiguar questões associadas à sua utilização. "Precisamos de uma área para cuidar dessas demandas e para verificar a segurança dos sistemas implementados", concluiu.

Em 1998 a Supervia recebeu a concessão para operar trens no Estado do Rio de Janeiro, esse direito vai até 2048. Em um trecho 270 quilômetros, que abrange 12 municípios do estado, são realizadas cerca de 750 viagens diárias para transportar mais de 560 mil pessoas.



Enviado via iPhone

Nenhum comentário:

Postar um comentário