segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Estado vai ampliar rede ferroviária

28/11/2012 - Valor Econômico

No caso dos trens regionais, a intenção é que a operação e a construção sejam feitas pela iniciativa privada.

A construção de 431 quilômetros de trilhos em seis anos seria um feito inédito para o governo paulista. A extensão do projeto de trens regionais é quase o dobro da rede de trens de passageiros metropolitanos em São Paulo, administrada pela Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), que chega a 258 quilômetros e foi construída ao longo do século passado.

Já o metrô de São Paulo chega a 74 quilômetros e começou a ser construído na década de 1970, avançando em média dois quilômetros por ano. Até 2015, o Estado também prevê aceleração nos projetos urbanos, com PPPs, financiamento e recursos próprios, construindo 32 quilômetros de metrô e de 40 quilômetros de linhas de trem.

No caso dos trens regionais, a intenção é que a operação e a construção sejam feitas pela iniciativa privada. Ao lado do BTG Pactual, a empresa que apresentou proposta para viabilizar quatro linhas foi a Estação da Luz Participações [EDLP], uma estruturadora de projetos. "Nossa intenção é construir e operar os trens regionais", diz o presidente da EDLP, Guilherme Quintella. Ele é representante no Brasil da União Internacional de Ferrovias (UIC na sigla em inglês) e preside a Agência de Desenvolvimento de Trens Rápidos entre Municípios (Adtrem). Para o projeto, a EDLP deve contar com capital próprio e de investidores. A EDLP e o BTG Pactual são sócios na Contrail, projeto destinado ao transporte de contêineres em Santos.

Fonte: Valor Econômico




Enviado via iPhone

Nenhum comentário:

Postar um comentário