quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

EPL garante estação do TAV em Aparecida

05/12/2012 - Valor Econômico

O município paulista de Aparecida terá uma estação do trem-bala, garantiu ontem o presidente da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), Bernardo Figueiredo, que participou de seminário sobre o setor rodoferroviário. "Isso não muda. É uma cláusula pétrea. É uma reivindicação da cidade e uma promessa", disse, fazendo referência ao turismo religioso que leva cerca de 12 milhões de pessoas por ano para a cidade de 35 mil habitantes.

Na semana passada, o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), Augusto Nardes, que é relator do processo, deu sinal verde ao novo edital do trem-bala, mas recomendou, entre outras orientações, que a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) avaliasse a construção de uma estação em Aparecida. Segundo Nardes, a estação na cidade ainda precisa de dados técnicos consistentes sobre o volume de demanda.

Figueiredo garantiu que Aparecida tem demanda suficiente para justificar uma estação do trem-bala, que vai ligar Campinas ao Rio, passando por São Paulo. "Gera demanda quando os outros não têm. Faz contrafluxo, como é o caso de feriados", afirma, ressaltando que outras cidades onde haverá estação terão maior demanda em dias de semana. "Quem acha que não tem demanda [em Aparecida] não tem visão adequada do projeto", disse.

O trem-bala também possui estações previstas em Campinas, São Paulo, Guarulhos, São José dos Campos, Barra Mansa e Rio de Janeiro. O presidente da EPL diz que aguarda deliberação do TCU sobre a modelagem do trem. "Esperamos o TCU para liberar o edital na semana que vem, se não ocorrer, vamos soltar quando deliberarem", disse. Apesar da dificuldade que o governo federal tem enfrentado na fase inicial de projeto, Figueiredo considera que essa não é a parte mais difícil do trem-bala. "A parte crítica é a engenharia, a infraestrutura", afirmou. De acordo com ele, o cronograma prevê que as obras comecem em 2014 e a operação pode ser adiantada de 2020 para 2018.

Já o secretário de Transportes Metropolitanos de São Paulo, Jurandir Fernandes, que também participou do seminário, afirmou que a linha da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) prevista para ligar, na primeira fase, a estação Engenheiro Goulart, na zona leste paulistana, ao Aeroporto de Guarulhos, tem característica de "trem de massa, suburbano" e deve atender principalmente os 30 mil trabalhadores do aeroporto. "Atenderá os funcionários e possíveis executivos que não estão portando bagagens grandes", disse, admitindo que parte dos 30 milhões de passageiros por ano, que o aeroporto recebe, não será atendida pelo projeto chamado de Linha 13-Jade.

A linha terá 11,5 quilômetros, investimentos estimados em cerca de R$ 1,2 bilhão e será lançado amanhã pelo governador Geraldo Alckmin. As obras estão previstas para começar em fevereiro de 2013 e o prazo de construção é de 18 meses a 24 meses.

Para atender os passageiros do aeroporto, segundo Fernandes, há estudo de bagageiros no trem da CPTM e trecho entre São Paulo e o aeroporto no projeto de trens regionais, com ligação expressa e 160 km/h de velocidade. O projeto original de trens regionais prevê quatro trechos (Sorocaba, Campinas/Jundiaí, São José dos Campos e ABC/Santos) com 430 quilômetros e R$ 18,5 bilhões em investimentos. Outra demanda ainda não foi atendida é de extensão do trem para o bairro São João, localizado atrás do aeroporto de Cumbica. "Estudando ainda melhor ligação", disse Fernandes.


Enviado via iPhone

Nenhum comentário:

Postar um comentário