sábado, 8 de dezembro de 2012

Bernardo Figueiredo fala sobre logística e TAV

08/12/2012 - Revista Ferroviária

O presidente da EPL explicou que as concessões de ferrovias envolvem a modernização de parte da malha e a estruturação de linhas em regiões onde não há muita demanda.

Em evento realizado nessa quarta-feira (05/12), o seminário Lide Logística, o presidente da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), Bernardo Figueiredo, informou que o principal objetivo da EPL é cumprir o cronograma estipulado pelo governo para os investimentos de R$ 133 bilhões em infraestrutura. Do montante estipulado pelo governo, R$ 91 bilhões serão para ferrovias, sendo que R$ 56 bilhões devem ser aplicados nos próximos cinco anos.

O presidente da EPL explicou também que as concessões de ferrovias envolvem a modernização de parte da malha e a estruturação de linhas em regiões onde não há muita demanda. Segundo ele, os primeiros trechos ferroviários do programa serão licitados em fevereiro de 2013.

O TAV também foi assunto durante o evento. De acordo com o presidente da EPL, as questões levantadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU) sobre o projeto não devem atrasar a publicação do edital, com previsão a partir da próxima quarta-feira (12/12). "Ainda não vi o relatório, mas acredito que na quarta, quinta-feira da semana que vem é possível", disse.

Entre as questões levantadas pelo TCU no relatório estão uma cláusula que possibilita o acesso pleno aos investimentos da concessionária, a avaliação de extensão do traçado até aeroportos e tempo máximo de 99 minutos em viagens expressas entre São Paulo e Rio de Janeiro, e outras questões de localização das estações.

Figueiredo considera que a participação de 23% da iniciativa privada está adequada, o que vai de conflito com a opinião do TCU. O presidente diz que "em outros países essa participação é próxima de zero".

Segundo ele, foram realizadas reuniões com investidores sobre o projeto e houve "interesse grande". "Todo mundo concorda que o eixo São Paulo-Rio precisa de uma ligação rápida e que a melhor opção para isso é a ferrovia, e se vamos fazer uma ferrovia usaremos tecnologia desse século ou do século passado? Com certeza desse século, e qual a melhor opção? O TAV".

Figueiredo informou que trabalha para realizar a conclusão do TAV em 2018, sendo que o prazo máximo previsto para a entrega é 2020. A obra ficará pronta toda junta. "Em 2020, no máximo, a obra será entregue, mas queremos entregar em 2018. Estamos trabalhando para antecipar esse negócio em dois anos", concluiu.

Fonte: Revista Ferroviária/ABIFER

Nenhum comentário:

Postar um comentário