segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Terminal Intermodal interligará ramal à Ferronorte em Aparecida do Taboado

24/09/2012 - Jornal do Povo - Três Lagoas/MS

Em Santos também haverá um terminal próprio da Eldorado, que prevê também a construção de porto em Três Lagoas para o transporte hidroviário, pelo Tietê, até Pederneiras (SP).


Por Edmir Conceição

A Eldorado Brasil vai investir nada menos que R$ 280 milhões na compra de 300 vagões e 20 locomotivas para o transporte de fardos de celulose até o Porto de Santos, por onde será escoada a sua produção. A operação, em associação com a América Latina Logística (ALL), inclui a construção de terminal intermodal em Aparecida do Taboado. Apenas no porto seco serão investidos R$ 30 milhões.

Aparecida do Taboado está recebendo, na verdade, uma nova ferrovia. O gerente geral da Eldorado, Guilherme Araújo, disse à rádio Cultura FM 105,5 Mhz que o terminal terá uma movimentação de 60 caminhões por dia na BR-158, entre Três Lagoas a Aparecida do Taboado. A frota de trens será constituída por 347 vagões e 21 locomotivas, sendo que cada vagão tem capacidade para 88 toneladas de celulose. As obras se concentram na margem direita da MS-316, próximo ao Distrito Industrial "Gilberto Nunes da Rocha".

A celulose, que começa a ser produzida em novembro, um mês antes da inauguração oficial da fábrica de Três Lagoas, será transportada por rodovia até Aparecida do Taboado, onde será feito o transbordo no terminal ferroviário.

A ALL, que detém o monopólio da malha ferroviária, está concentrando toda sua capacidade em atender também a Fibria, que escoa sua produção por Três Lagoas. Na compra de 300 vagões e 20 locomotivas serão investidos R$ 250 milhões. Pelo acordo entre as empresas, serão movimentadas 800 mil toneladas de celulose por ano.

A celulose produzida na fábrica de Três Lagoas seguirá em rodovia até Aparecida do Taboado, numa distância de 90 km, seguindo pela ferrovia após o transbordo no terminal de Aparecida. Até o Porto de Santos são 900 quilômetros.

Em Santos também haverá um terminal próprio da Eldorado, que prevê também a construção de porto em Três Lagoas para o transporte hidroviário, pelo Tietê, até Pederneiras (SP).

Para operar essa logística, a ALL prevê obras de revitalização de trechos ferroviários da antiga Ferronorte até Campinas, já que a previsão é de transporte até 2020 deve saltar de 800 mil toneladas/ano para 2,5 milhões de toneladas/ano, 50% da capacitada total instalada.

O cronograma de produção do Projeto Eldorado, que tem investimento global de R$ 6,2 bilhões, prevê três etapas – 1,5 milhão de toneladas na primeira linha, 3 milhões de toneladas na segunda linha, até 2017 e, até 2020, produção de 5 milhões de toneladas.

Competividade

Três Lagoas quase perdeu para Selvíria a localização da fábrica, mas a destinação de 900 hectares às margens do rio Paraná, no ponto onde o rio Tietê deságua, ofereceu aos investidores melhor estratégia de operação, pois será possível operar em três modais para receber matéria prima e escoar a produção.

"Nosso objetivo é ampliar o uso dos modais hidroviário e ferroviário que apresentam maior economia em escala e menor impacto ambiental. Para isso já adquirimos uma frota própria de locomotivas e vagões - especialmente desenvolvidos para a Eldorado Brasil -, que vão transportar a nossa celulose até um terminal próprio no porto de Santos e de lá para os principais mercados do mundo", destaca o presidente da Eldorado, José Carlos Grubisich.

Três empresas já operam a logística florestal

O projeto de logística florestal do complexo de celulose da Eldorado envolve três empresas do setor rodoviário: JSL, Gafor e Transgold, que já operam o transporte de madeira para a unidade industrial.

O volume total dos contratos soma R$ 500 milhões e a duração prevista é de cinco anos. Quando estiver operando a plena capacidade, o pátio da fábrica receberá anualmente 5 milhões de metros cúbicos de madeira.

Para ampliar sua produtividade, a Eldorado optou por 'primarizar' todo o processo de produção florestal. Do plantio a colheita das florestas, até o transbordo da madeira para a estrada, tudo será realizado com equipamentos e funcionários da empresa. O corte de eucalipto para abastecer os depósitos da fábrica começou no início deste mês.



Enviado via iPhone

Nenhum comentário:

Postar um comentário