sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Preço mínimo do trem-bala é de R$ 27,6 bilhões

24/08/2012 - Folha de São Paulo

A previsão é que as propostas sejam apresentadas em 30 de abril. A divulgação do vencedor ocorrerá em 29 de maio do próximo ano.

Por Dimmi Amora

O governo fixou em R$ 27,6 bilhões o preço mínimo da outorga da operação e da manutenção do trem-bala, que ligará as cidades de Campinas, São Paulo e Rio.

O valor está no esboço de edital da primeira etapa de licitação, divulgado ontem pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres). Ele foi fixado em valores de dezembro de 2008 --e será corrigido com base na variação da inflação.

O valor da outorga é elevado se comparado com o custo total estimado pelo governo, de R$ 33,1 bilhões --R$ 9 bilhões para equipamentos e R$ 24 bilhões para a obra.

Essa projeção sempre foi considerada baixa pelo mercado e foi um dos motivos pelos quais a primeira tentativa de leilão, em 2011, fracassou.

A estimativa das empresas do setor é que os custos reais da construção sejam o dobro.

O projeto prevê que a outorga desembolsada pelo futuro operador do trem-bala seja usada para pagar a construção da via e das estações.

A empresa responsável por essa segunda etapa será escolhida em outra licitação. Como a Folha antecipou no ano passado, se os recursos não forem suficientes, o governo bancará a diferença.

A previsão é que as propostas sejam apresentadas em 30 de abril. A divulgação do vencedor ocorrerá em 29 de maio do próximo ano.

O governo estima fazer no mesmo ano o leilão da segunda etapa e começar as obras em 2014, entregando os primeiros trechos em 2018 e a obra completa em 2020.

O esboço do edital será submetido a consulta pública pelos próximos 60 dias. A divulgação do edital definitivo está prevista para outubro.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário