terça-feira, 28 de agosto de 2012

Deputados gaúchos debatem novo traçado da Norte-Sul

26/08/2012 - Portal Vermelho

A Frente Parlamentar em Defesa da Ferrosul e pela Qualificação e Ampliação das Ferrovias realiza reunião no dia 29, às 10h30min, na Expointer, para debater as mudanças realizadas no projeto da Ferrovia Norte-Sul.

A reunião foi convocada pelo presidente da Frente, deputado Raul Carrion, após o anúncio do governo federal do Programa de Investimentos em Logística, no ultimo dia 15 de agosto. O programa prevê um investimento em infraestrutura de R$ 133 bilhões. Somente em ferrovias, o programa prevê verbas de R$ 91 bilhões, sendo 56 bilhões nos próximos 5 anos e R$ 35 bilhões nos 20 anos seguintes. Os investimentos em ferrovias equivalem à construção de cerca de 10 mil quilômetros, duplicando o volume de ferrovias em efetivo funcionamento.

Segundo o presidente da Frente gaúcha, o programa vai ao encontro de várias reivindicações dos parlamentares do Rio Grande do Sul como o resgate das ferrovias como alternativa logística, a quebra do monopólio na oferta de serviços ferroviários e a redução das tarifas. “É uma importante mudança de paradigma, o reconhecimento de que o modelo logístico baseado nas rodovias está esgotado e confirma a luta da Frente criada no ano passado”, disse Carrion.

O líder do PCdoB na Assembleia gaúcha demonstrou porém surpresa com a decisão do governo de alterar o projeto da Ferrovia Norte-Sul, de forma unilateral e sem prévia discussão com prefeituras e comunidades envolvidas. O projeto entre Panorama/SP e o Porto de Rio Grande/RS – passando por Chapecó-Erechim-P. Fundo-Estrela/Lajeado-S. Cruz-Gal.Paz-Pelotas-R.Grande – que havia sido amplamente discutido com os Estados que formam o Codesul – foi abandonado e substituído por um novo trajeto, no caso passando por São Paulo-Mafra-Porto Alegre-RioGrande. “Realizamos uma ampla discussão em nosso Estado em mais de 10 audiências públicas e um seminário nacional e estamos surpreendidos com a mudança”, diz o presidente da Frente.

O Plano

O programa anunciado pela presidente Dilma propõe a sua efetivação através de PPPs onde a União contratará a construção, manutenção e operação das ferrovias. Neste novo modelo, a Valec, estatal responsável pelas ferrovias, comprará a capacidade integral de transporte das mesmas, assegurando o direito de passagem dos trens das mais diferentes operadoras, quebrando o monopólio das atuais concessionárias e buscando a modicidade tarifária, o que inaugurará uma nova era no transporte ferroviário brasileiro. 
Frente gaúcha

Instalada em 15 de junho do ano passado, a Frente Parlamentar Gaúcha de Apoio à Ferrosul e Qualificação e Ampliação do Transporte Ferroviário, iniciativa do líder do PCdoB, deputado Raul Carrion, conta com a participação de 49 deputados gaúchos e já realizou duas audiências públicas – em Passo Fundo e em Santa Cruz do Sul.

“Trabalhamos em várias frentes, uma é para garantir que a agora denominada Sul/Norte torne-se uma realidade, e que a Ferrosul também não seja esquecida. Outro foco é no sentido da criação de ramais de comunicação, para que polos que não receberão a ferrovia possam se comunicar com ela. E nosso terceiro foco é para recuperar trechos que foram abandonados pelas concessionárias por não serem, na visão destas empresas privadas, viáveis economicamente”, explicou Carrion.

Segundo o presidente da frente parlamentar gaúcha, cerca de 80% das cargas no Rio Grande do Sul são transportadas por meio de rodovias, o que gera um alto custo logístico e, em consequência, perda na competitividade frente aos demais estados. Ele também lembrou que dos 28 mil quilômetros de ferrovias privatizadas no RS, 16 mil foram desativadas pelas concessionárias, aumentando ainda mais os prejuízos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário