sexta-feira, 20 de julho de 2012

Transnordestina é retomada

18/07/2012 - Jornal do Commercio - PE

No dia de ontem, o trabalho foi normal em todas as 25 frentes de serviços, localizadas em Pernambuco, no Piauí e no Ceará.

Não durou mais que um dia a greve dos trabalhadores das obras da ferrovia Transnordestina no Ceará, Piauí e Pernambuco. Ontem pela manhã, uma assembleia dos funcionários da Odebrecht decretou o fim da paralisação e o retorno ao trabalho nos 25 canteiros espalhados pelos três Estados. A construtora e a Transnordestina Logística S/A (TLSA) concordaram em pagar, até o final deste mês, o equivalente a 35 horas de trabalho de benefício do Programa de Incentivo à Produtividade (PIP).

Será paga ainda a Participação no Lucros e Resultados (PLR) para 2.500 trabalhadores demitidos no começo deste ano. O benefício será proporcional a quatro meses de trabalho, referentes ao período compreendido entre os meses de setembro e dezembro do ano passado, esclareceu Luciano Silva, coordenador regional da subsede do Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias de Construção de Estradas, Pavimentação e Obras de Terraplenagem no Estado de Pernambuco (Sintepav-PE).

O dirigente sindical lembrou, entretanto, que as empresas atenderam em parte as reivindicações, pois o débito do PIP é igual a 80 horas de trabalho. A parada da última segunda-feira teve maior adesão dos trabalhadores do Ceará e Piauí. Em Pernambuco, estimativas do Sintepav-PE são de que apenas 300 profissionais tenham cruzado os braços. O acordo, segundo nota enviada pela assessoria de imprensa da Odebrecht Infraestrutura, foi firmado já na noite da última segunda-feira.

“A partir do próximo mês de agosto, esse pagamento (do PIP) poderá ocorrer mensalmente, caso sejam cumpridas todas as metas estabelecidas”, informou. A empresa nega que tenha havido uma paralisação forte na última segunda-feira e estima que apenas 3% do contingente de 2.400 trabalhadores aderiram à greve.

No dia de ontem, o trabalho foi normal em todas as 25 frentes de serviços, localizadas em Pernambuco, no Piauí e no Ceará. O mesmo se repete hoje, com os trabalhadores executando serviços de terraplenagem, obras de artes correntes e obras de artes especiais. Em Serra Talhada (PE), serão montados 1.200 metros de ferrovia”, reforçou a nota da Odebrecht.

A Odebrecht é a empresa contratada pela TLSA para tirar do papel o empreendimento de R$ 5,4 bilhões. A obra está atrasada. O ramal que liga a cidade de Eliseu Martins (PI) ao Porto de Suape, segundo cronograma apresentado em fevereiro à presidente Dilma Rousseff, deveria estar pronto no final de 2013, mas agora só será entregue em fins de 2014.

A Transnordestina é uma ferrovia de 1.728 quilômetros, que começa na cidade de Eliseu Martins, no Piauí, seguindo até os Portos de Pecém, no Ceará, e de Suape, no Cabo de Santo Agostinho. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário