domingo, 1 de julho de 2012

Ponta Grossa está na disputa para receber fábrica de trem para metrô no Paraná

30/06/2012 - Diário de Campos

Representantes do governo do Estado receberam na última quarta-feira um grupo de investidores chineses. Eles estudam a instalação de uma montadora de trens e componentes de alta velocidade para metrô no Paraná. Secretários municipais de Indústria e Comércio de quatro cidades paranaenses foram convidados a participar e apresentar os municípios. Ponta Grossa, Lapa, Rio Negro e Araucária vão disputar o investimento da empresa CSR QINGDAO SIFANG Co. O encontro foi no Palácio do Planalto.   

De acordo com o secretário municipal de Indústria, Comércio e Qualificação Profissional, João Luiz Kovaleski, foram convidados apenas os municípios com ramal ferroviário. “Ponta Grossa atende todas as exigências para receber esta montadora. Somos um entroncamento rodoferroviário, temos gás natural, energia elétrica e estamos próximos ao Porto de Paranaguá. Abrigamos universidades que formam a mão-de-obra que eles precisam, oferecemos qualidade de vida e possuímos a área de 300 mil metros quadrados que eles precisam para instalar a fábrica”, comemora. Rio Negro e Lapa não contam com ramal de gás natural.

Segundo o secretário, o grupo não revelou o quanto investirá na indústria, porém salientou que empregará 250 engenheiros. “É por isto que eles querem uma cidade que atenda a todos os requisitos e tenha qualidade de vida. Com a DAF foi a mesma situação e esta está se instalando aqui”, comenta. Ele revela ainda que na China o grupo tem uma universidade para formar mão-de-obra especialmente.

A vinda da montadora para o Brasil está ligada ao crescimento do setor ferroviário. “Novas ferrovias estão surgindo, assim como metrôs. Curitiba terá metrô e isto ajudará a atrair investimentos no Paraná”, considera. São Paulo e Rio de Janeiro que também eram sondadas pelo grupo foram descartados para receber a unidade. Minas Gerais concorre com o Paraná, porém leva desvantagem por não possuir porto.

No encontro, o grupo solicitou aos secretários um material informativo sobre as cidades paranaenses convidadas para a reunião. “Eles voltam para a China agora e daqui um mês estarão novamente no Brasil. Eles virão conhecer Ponta Grossa”, conta.

Fábrica

Esta será a primeira unidade no país, porém os chineses têm três representantes em São Paulo (Brasell, MPE e Scomi) para atender às grandes cidades brasileiras. O grupo monta na China trens de alta velocidade, urbano, diesel, elétrico e todo o sistema de metrô e detém 80% daquele mercado.

Mesmo com a fábrica no Brasil será necessário importar 40% das peças, por isto, a necessidade de estar próximo a portos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário