sábado, 2 de junho de 2012

Novo terminal ferroviário de MT deve escoar 100 mil ton de grãos por dia

01/06/2012 - G1

O terminal em Itiquira, a 359 km de Cuiabá, será o terceiro de Mato Grosso.A expectativa é que seja carrega no terminal 100 mil toneladas por dia.

O terminal rodoferroviário de Itiquira, a 359 km de Cuiabá, que será inaugurado neste sábado (02), terá a capacidade para escoar 100 mil toneladas de grãos por dia ligando a cidade até o terminal ferroviário de Alto Araguaia, no sul de Mato Grosso. A nova linha já está operando em caráter experimental desde o final de abril, depois que a América Latina Logística (ALL) conseguiu a licença do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). A inauguração do terminal terá a presença do ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos.

O terminal, o terceiro do estado, está instalado em uma área de 70 hectares e deve gerar 210 empregos diretos. Os outros dois ficam nas cidades de Alto Araguaia e Alto Taquari, respectivamente a 426 e 509 quilômetros da capital.

O terminal de Alto Araguaia enfrenta problemas de escoamento devido ao alto fluxo de caminhões e uma das metas da ferrovia é acelerar a recepção e o carregamento. Mais de 60% da soja de Mato Grosso deixam o estado pelos trilhos da ferrovia e cada composição comporta de 6 mil a 8 mil toneladas de carga, o equivalente ao serviço de 150 carretas. A viagem dura quatro dias de Alto Araguaia até o Porto de Santos, em São Paulo.

"Nós conseguimos ter um desempenho melhor este ano, aumentando a produtividade do terminal, passando de 30 caminhões por hora para 40", afirmou o coordenador de produção do terminal, Flávio José da Silva.

Expansão
Rondonópolis será o próximo destino da ferrovia. As obras do Complexo Intermodal de Rondonópolis (CIR) começaram em abril deste ano com a terraplanagem e drenagem. Ele será construído em uma área de 400 hectares nas proximidades da BR-163, na saída para Campo Grande (MS). O terminal rodoferroviário terá uma estrutura para comportar os caminhões e um posto de abastecimento. A ALL calcula que três mil pessoas deverão trabalhar na unidade.

A expectativa é que o município seja um dos maiores centros de recebimento e transporte da soja da América Latina com movimentação de até 15 milhões de toneladas por ano até 2015. O investimento deve ficar em torno de R$ 750 milhões.

O projeto é estender a linha ferroviária até Cuiabá. A projeção da Secretaria Extraordinária de Acompanhamento da Logística Intermodal de Transportes é que até 2013 os estudos de impacto ambiental e o projeto estejam prontos. "Conseguimos um orçamento de R$ 14 milhões para a etapa inicial do projeto, que deve durar 18 meses. Já a construção da ferrovia irá ficar entre R$ 800 milhões e R$ 1 bilhão. Estamos estudando a possibilidade da linha transportar também passageiros", destacou o secretário de Acompanhamento da Logística Intermodal de Transportes, Francisco Vuolo.

Ferrovia de Integração

Mato Grosso deve ser atendido por outro empreendimento, a Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico), ligando em uma primeira etapa Campinorte, em Goiás, até Lucas do Rio Verde, em Mato Grosso. A obra faz parte do Programa de Aceleramento do Crescimento (PAC 2). Em uma segunda fase, a ferrovia deve chegar a Vilhena, em Rondônia.

De acordo com José Eduardo Castelo Branco, presidente da Valec Engenharia, Construções e Ferrovias, responsável pela obra, em um ano os procedimentos contratuais e o projeto devem estar prontos. O prazo para início das obras é de 15 meses.

Nenhum comentário:

Postar um comentário