quinta-feira, 14 de junho de 2012

Movimento pela volta do trem de passageiros em MG ganha força

07/06/2012 - Correio da Cidade

Essa foi a segunda audiência pública realizada pela Associação, a primeira foi na cidade de Sarzedo.


A Associação Trem Bão de Minas (TDB) promoveu uma audiência pública dia 31, na Câmara Municipal de Congonhas para discutir a volta do trem de passageiros. Participaram da reunião lideres de associações de bairros e membros de entidades sociais. A TDB foi criada para tentar resgatar o transporte ferroviário no trecho entres as cidades: Belo Horizonte, Sarzedo, Ibirité, Mário Campos, Brumadinho, Moeda, Belo Vale, Jeceaba, Congonhas e Conselheiro Lafaiete.

Segundo José Augusto, idealizador do movimento, “é muito importante ter de volta o trem de passageiros para ajudar no transporte das pessoas, garantindo assim o direito de ir e vir”. O objetivo é fazer com que o transporte ferroviário seja, assim como foi no passado, uma opção viável para o deslocamento da população que hoje tem como única escolha o transporte rodoviário, que é caro, inseguro e pouco eficiente.

Essa foi a segunda audiência pública realizada pela Associação, a primeira foi na cidade de Sarzedo. De acordo com Lilian Paraguai, presidente da TDB, outras audiências serão realizadas em todas as cidades envolvidas. “Temos que fortalecer o movimento oferecendo mais informações para a sociedade nos ajudar nesse processo”, ressalta.  A próxima audiência será realizada na cidade de Brumadinho ainda esse mês.

As principais reivindicações da Associação Trem Bão de Minas, além do primordial que é a volta do transporte ferroviário de passageiros, são também a promoção da cultura, o resgate da memória ferroviária e a defesa e a conservação do patrimônio histórico e artístico das estações ferroviárias e todo o seu entorno.

Em 2011 a Associação Trem Bão de Minas iniciou uma aproximação entre a Agência Metropolitana de Belo Horizonte e a UFMG neste projeto. A partir de então, a Agência, por meio do Fundo Metropolitano, se comprometeu em subsidiar os estudos técnicos. Coordenado pelo professor Nilson Tadeu Nunes, do Departamento de Engenharia de Transporte e Geotecnia da UFMG, o estudo analisa a situação atual e a viabilidade do uso da malha ferroviária da RMBH e arredores para transporte de passageiros.

A ação tem como parceiros o Consórcio de Desenvolvimento do Alto Paraopeba (CODAP) e a Associação das Cidades Históricas de Minas Gerais (ACHMG). Segundo Lilian, de 2009 até agora, o movimento conseguiu mobilizar todos os 10 municípios, com representantes do poder executivo, legislativo e da sociedade civil. “A intenção agora é buscar novos parceiros para a viabilização da iniciativa, como o IPHAN e o Ministério Público”, diz ela.

Os primeiros estudos levantaram dados do trajeto entre Águas Claras/Barreiro e Divinópolis/Prudente de Morais. O próximo trecho será BH/Conselheiro Lafaiete. Os estudos contemplarão todas as áreas sob concessão da MRS Logística. A previsão é que sejam finalizados até setembro deste ano. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário