terça-feira, 26 de junho de 2012

Falhas na Ferrovia Norte-Sul custam R$ 400 milhões à Valec

22/06/2012 - Surgiu Empreendimentos Publicitários Ltda

Conforme o jornal Valor Econômico, empresa precisará erguer nove pátios logísticos, estruturas que constavam dos contratos com empreiteiras e não foram feitos

Falhas na Ferrovia Norte-Sul entre Palmas e Anápolis custam R$ 400 milhões à Valec, diz Valor Econômico. Conforme o jornal, empresa precisará ainda erguer nove pátios logísticos, estruturas que constavam dos contratos com empreiteiras e não foram feitos.

Novo modelo de concessão de ferrovias poderá ser aplicado ao trecho da Norte-Sul que ligará Palmas a Gurupi

O jornal Valor Econômico afirma que a estatal Valec, responsável pela construção da Ferrovia Norte-Sul, fez um pente-fino nos 855 km entre Palmas (TO) e Anápolis (GO) e concluiu que terá de gastar mais R$ 400 milhões para consertar estruturas e trilhos mal instalados. Precisará ainda erguer nove pátios logísticos, estruturas que constavam dos contratos com empreiteiras e não foram feitos.

Um novo modelo de concessões para ferrovias está sendo estudado pelo governo federal. O presidente da Valec, José Eduardo Castello Branco, estatal responsável pela construção da Norte-Sul, entre outras linhas, afirmou ao jornal O Estado de S.Paulo que a nova norma poderá ser aplicada já no trecho que ligará as cidades de Palmas e Gurupi, a ser inaugurado em agosto.

O trecho da Norte-Sul entre Palmas e Açailândia (MA) está concessionado para a Vale, que mantém e opera a linha. É o chamado modelo vertical, aplicado também às demais ferrovias entregues à exploração pela iniciativa privada.

De acordo com O Estadão, o modelo em estudo é o chamado open access (acesso aberto), que se tornou compulsório na Europa e na Austrália. Por ele, uma empresa é mantenedora da via, mas vários clientes podem operá-la. "Será como uma estrada pedagiada", explicou Castello Branco. "A diferença é que não é qualquer um que poderá colocar vagões na linha, pois os trens e os maquinistas terão de ser credenciados."

Fraudes de R$ 71 milhões
O ex-presidente da Valec José Francisco das Neves, o "Juquinha", foi afastado da empresa após denúncias de irregularidades. Em dezembro do ano passado, a Justiça Federal decretou a indisponibilidade de bens de Juquinha, por suposta fraude de R$ 71 milhões em contrato para a construção da ferrovia Norte-Sul firmado pela estatal. Segundo o jornal Folha de S.Paulo, à época, os bens bloqueados do ex-presidente são um apartamento avaliado em R$ 20 mil, uma casa de R$ 550 mil em Goiânia e uma fazenda de R$ 3,3 milhões em Goiás.

Nenhum comentário:

Postar um comentário