terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Trecho entre Cuiabá e Rondonópolis pode ter vagões para passageiros


11/12/2011

Valérya Próspero

     Devido ao fluxo intenso de passageiros entre Cuiabá e Rondonópolis, o secretário extraordinário de Acompanhamento da Logística, Francisco Vuolo (PR), revela que existe a possibilidade da Ferronorte, conhecida por Senador Vicente Vuolo, transportar pessoas, apesar do foco ser o escoamento de grãos.

     A empresa responsável pela construção dos trilhos era a América Latina Logística (ALL), que devolveu a concessão do trecho ao governo do Estado após ser pressionada para definir a data para entrega das obras. “Se ficasse nas mãos da ALL, teria que respeitar a capacidade de endividamento e de investimento dela”, diz Vuolo.

     A maior empresa na área de logística e construção de ferrovias da Itália, a Salcef, vai protocolar uma carta de intenção para ficar responsável pelo trecho da Ferronorte. Segundo o secretário, há a possibilidade da obra ficar sob a responsabilidade do governo estadual, ou com os italianos, mas também pode ser firmada uma parceria público-privada.

     Cuiabá fica a aproximadamente 220 km de Rondonópolis, distância semelhante ao trecho entre Alto Araguaia e a cidade-pólo do Sul do Estado. Porém, o custo da obra neste trecho deve ser maior. Enquanto a estimativa de gasto com a Ferronorte é de R$ 800 milhões, a outra parte não deve ultrapassar os R$ 780 milhões. A diferença nos valores se deve ao fato do trecho até a baixada cuiabana ser mais acidentado, com solo irregular.

     A verba para a construção foi assegurada pelo senador Blairo Maggi (PR) mediante emenda parlamentar. “São R$ 800 milhões da emenda e já estamos trabalhando para estar no PPA 2013/2015”, declarou. Ele acredita que, em 18 meses, o projeto básico deve estar pronto. Em seguida, a obra poderá ser licitada.

     Vuolo explica que o governo já liberou R$ 14 milhões apenas para os estudos ambientais, de viabilidade e para a elaboração do projeto básico. Com isto, segundo Vuolo, não será preciso esperar que o terminal de Rondonópolis fique pronto para começar os trabalhos até a Capital. O secretário ressalta que todo modelo é definido pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e, por isso, o direito de passagem para cargas e os transportes estão assegurados. “Ela (Salcef) não vai competir com a ALL, mas sim se inter-relacionar”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário