terça-feira, 29 de novembro de 2011

Estudo de Trem Regional na Serra Gaúcha

29/11/2011 - Intelog

Paulo Timóteo, coordenador do Trensurb reuniu-se com secretários de planejamento dos municípios de Caxias do Sul, Bento Gonçalves, Farroupilha, Garibaldi e Carlos Barbosa para avaliar uma série de medidas para implantação do trem regional. O principal tema do encontro foi a discussão dos possíveis traçados de cada município quando foi realizada uma análise de como eles podem ser aproveitados e delineados.

Timóteo revelou que foram apresentados três traçados como sugestão. O primeiro deles é chamado de traçado histórico que é na verdade o original que foi implantado ainda em 1910, numa extensão de 62 quilômetros. Trata-se de um trecho sinuoso, com muitas curvas, nível de rampas, é trajeto longo e demorado, segundo Timóteo.

Ele afirma que permitirá uma velocidade máxima de 30 quilômetros por hora para o trem e que demandaria aproximadamente 2 horas para se fazer toda a extensão Caxias, Farroupilha, Garibaldi Carlos Barbosa e Bento Gonçalves.

O segundo traçado é o original, mas com algumas correções de curvas, o que possibilitaria fazer toda a extensão do trajeto em 1h35min. E, finalmente, um traçado novo que correria próximo à rodovia 453 até Garibaldi e que depois ingressaria no trecho Carlos Barbosa/Bento Gonçalves. “Este novo traçado permitirá que o trem percorra toda extensão em 80 minutos”, revela Timóteo. Ele diz também que fazendo uma média geral com o ônibus ficaria próximo a 1h40min.

Caxias e Bento podem ter número de estações ampliadas

No próximo dia 20, as prefeituras devem se reunir novamente com o Trensurb para avaliarem o impacto das obras. Será feita também uma análise mais profunda dos traçados, a compatibilização, o transporte, a urbanização das cidades. Será avaliada também a possibilidade de se instalar novas estações de passageiros, além das antigas existentes.

O coordenador do Trensurb diz que “Caxias poderá ter mais duas ou três estações de passageiros além da já existente, que podem ser construídas em pontos estratégicos para facilitar o embarque e o desembarque dos passageiros. Bento Gonçalves também pode adotar as mesmas medidas ampliando o número de estações em seu trecho”.

O próximo passo, conforme Paulo Timóteo, “será inserir no relatório final no estudo da viabilidade  econômica das obras e quanto implantará nos acréscimos de custo e de que maneira os municípios podem participar. Já há recursos disponibilizados pelo BNDES para implantação deste sistema de transportes ferroviário de passageiros em todo o país. Outra  etapa será a constituição de nova empresa para gerir o trecho quando ele estiver concluído. A empresa que explorará os serviços pode ser privada, pública, ou pública privada”. (Fonte: Intelog)

Nenhum comentário:

Postar um comentário