quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Catarinenses querem mais ferrovias

26/10/2011 - Porto Gente, Por Vera Gasparetto de Florianópolis

Santa Catarina possui 980 quilômetros de ferrovias em operação
  
A Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc) reuniu dirigentes empresariais para ouvir o deputado federal e presidente da Frente Parlamentar Mista das Ferrovias, Pedro Uczai, sobre “A situação das ferrovias e a obra do PAC”, no último dia 21. A preocupação dos empresários catarinenses é discutir alternativas para ampliar o modal ferroviário no estado e destacar a importância da mobilização das lideranças para garantir os recursos ao projeto. O presidente da Fiesc, Glauco José Côrte, entregou ao parlamentar, um conjunto de propostas da indústria destinadas ao relator do Orçamento da União na área de transportes e logística, na Câmara Federal.

Santa Catarina possui 980 quilômetros de ferrovias em operação, ligada à malha principal brasileira (portos de Paranaguá e Rio Grande), com as malhas Argentina e Uruguaia, com o Porto de São Francisco do Sul e possui uma ligação da região carbonífera, no Sul do estado até o Porto de Imbituba.  As empresas concessionárias são a Ferrovia Tereza Cristina e a empresa América Latina Logística (ALL).

Uczai destacou a necessidade das ferrovias para o futuro de Santa Catarina e a importância de se garantir a inclusão dos projetos ferroviários no Plano Plurianual 2012-2015, que está em debate no Congresso Nacional.

“A inclusão das obras estruturantes no PPA, em especial as nossas ferrovias, é crucial para garantirmos a continuidade do nosso desenvolvimento social e econômico”, observa o parlamentar, destacando que o transporte ferroviário é mais barato, mais seguro e ambientalmente sustentável, além de manter e atrair novos investimentos nas regiões. “As ferrovias contribuem ainda para a preservação das nossas rodovias”, concluiu. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário