sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Vale anuncia duplicação de 24 km da EFVM em Minas

10/08/2011 - Diário do Comércio

Registro de investimentos da Vale (ex-CVRD) na duplicação de 24 km da Estrada de Ferro Vitória a Minas para atender ao aumento de produção das minas de Brucutu.

Recapitulação e detalhamento dos investimentos de US$ 4,6 bilhões em Minas Gerais, anunciados por ocasião da crise de fritura de Agnelli — basicamente voltados para a mineração, concentração de minério, transporte de minério.

Vale vai duplicar 24 quilômetros da EFVM
Trecho fica entre Barão de Cocais e São Gonçalo do Rio Abaixo, na região Central do Estado. 

A Vale S/A investirá na duplicação de 24 quilômetros da Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM). O principal trecho, de 20 quilômetros, fica entre Barão de Cocais e São Gonçalo do Rio Abaixo, ambos os municípios na região Central do Estado. As obras estão previstas para começar em novembro.

A companhia recebeu do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), vinculado ao Ministério do Meio Ambiente (MMA), a licença de instalação do empreendimento. O licenciamento compreende a expansão entre os pátios 5 e 7A.

De acordo com a mineradora, o objetivo é melhorar a infraestrutura ferroviária e assim atender ao acréscimo previsto na demanda pelo transporte de minério de ferro, além de carga geral. A conclusão da duplicação está prevista para março de 2015.

Em relação aos aportes necessários para a ampliação da estrada de ferro, a Vale informou que as obras ainda estão em fase de licitação. "Dessa forma, ainda não é possível detalhar os investimentos", afirmou o comunicado.

Apesar disso, estimativas da Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários (ANTF) apontam que cada quilômetro de trilhos custa entre R$ 2,9 milhões e R$ 3 milhões. Em caso da necessidade de uma desapropriação, o aporte por quilômetro pode chegar a R$ 4 milhões. Levando-se em consideração essas projeções, os investimentos da Vale podem ficar entre R$ 72 milhões e R$ 96 milhões.

No município de São Gonçalo do Rio Abaixo está instalada a mina de Brucutu, uma das maiores operações de minério da companhia, com capacidade de 30 milhões de toneladas/ano. Quando passou por investimentos, em 2006, ela foi considerada a maior do mundo.

De acordo com a Vale, outro trecho de quatro quilômetros da EFVM também será duplicado na região. A estrada de ferro receberá inversões entre a zona rural de São Gonçalo do Rio Abaixo e Santa Bárbara.

Os aportes na área de logística da mineradora deverão somar somente neste ano US$ 5,014 bilhões. Os recursos serão aplicados nos portos e ferrovias controlados pela Vale. Entre as concessionárias estão a EFVM, a Ferrovia Centro-Atlântica (FCA) e a Estrada de Ferro Carajás.

Plano - A empresa anunciou no ano passado um plano de investimentos da ordem de US$ 4,6 bilhões em Minas Gerais, com o objetivo de expandir suas operações de minério de ferro. Entre os projetos está o Conceição Itabiritos, que compreende a construção de uma planta de concentração para adicionar 12 milhões de capacidade nominal de pellet feed, utilizando o run-of-mine (ROM) da mina de Conceição, no complexo de Itabira, na região Central do Estado.

O aporte total é estimado em US$ 1,174 bilhão, dos quais US$ 411 milhões estão orçados para 2011. O início das operações está previsto para o segundo semestre de 2013.

Outro grande projeto é o Vargem Grande Itabiritos, com inversões estimadas em US$ 1,521 bilhão. O empreendimento compreende a construção de uma planta de concentração que será abastecida por itabiritos provenientes das minas de Abóboras, Tamanduá e Capitão do Mato. A capacidade nominal será de 10 milhões de toneladas/ano. Somente em 2011, os investimentos somarão US$ 356 milhões.

RAFAEL TOMAZ | Diário do Comércio (MG) | 10-08-2011

http://www.diariodocomercio.com.br/index.php?id=70&conteudoId=103921&edicaoId=1051

Nenhum comentário:

Postar um comentário