quinta-feira, 25 de agosto de 2011


 Notícias da Imprensa

« Voltar
Segunda etapa da FICO não tem previsão de início

23/08/2011 - Expresso MT

A Valec se prepara para lançar o editar para a contratação das empresas que irão construir cada um dos lotes do trecho que vai até Lucas do Rio Verde

Dados novos da Ferrovia de Integração Centro Oeste (FICO) mostram sua implantação em duas etapas. A primeira etapa pega de Campinorte (GO) há Lucas do Rio Verde (MT), são 1040 quilômetros e as obras devem ter início em 2012, com conclusão prevista para o final do ano de 2014, o investimento está previsto para R$ 4,1 bilhões.
 
A segunda etapa começa em Lucas do Rio Verde (MT) e vai até Vilhena (RO), sendo 598 quilômetros e as obras para esse projeto ainda não tem previsão de início, o valor exposto para o investimento é de R$ 2,3 bilhões. O trecho total então segue os 1638 quilômetros no valor de R$ 6,4 bilhões. “O projeto da ferrovia, que será executado em duas etapas e terá investimentos de R$ 6,4 bilhões, contemplará uma das regiões do país mais prósperas na produção de grãos e carne, porém bastante carente no que se refere à logística de transporte”, explica Mikaely Lima, assessora de imprensa da VALEC.
 
A ferrovia irá passar por várias cidades do Brasil, dentre elas estão as cidades de Goiás, Campinorte, Nova Iguaçu de Goiás, Pilar de Goiás, Santa Terezinha de Goiás, Crixás e Nova Crixás, já no Mato Grosso deve passar por Cocalinho, Nova Nazaré, Água Boa, Canarana, Gaúcha do Norte, Paranatinga, Nova Ubiratã, Sorriso, Lucas do Rio Verde, Nova Mutum, Nova Maringá, Brasnorte, Sapezal, Campos de Julio e Comodoro em Rondônia ela irá atingir apenas Vilhena. “A Ferrovia de Integração Centro-Oeste é a primeira parte de um projeto gigantesco, a Ferrovia Transcontinental (EF-354). No Plano Nacional de Viação, a EF-354 é planejada com 4.400 quilômetros de extensa”, ressalta Mikaely.
 
Os estudos preliminares, o EIA/RIMA e o projeto básico da Ferrovia de Integração Centro-Oeste foram iniciados ainda em 2009, dentre as ações definidas pelo Ministério dos Transportes. Sua execução ficará sob a responsabilidade da VALEC, como uma das obras do novo Plano de Aceleração do Crescimento, programado pelo Governo Federal. No momento, a Valec se prepara para lançar o editar de concorrência para a contratação das empresas que irão construir cada um dos lotes do trecho que vai até Lucas do Rio Verde, enquanto aguarda também a concessão da Licença de Instalação por parte do Ibama.
 
Por se conectar com a Norte-Sul, a ferrovia de Integração Centro-Oeste dará novo impulso para o desenvolvimento dos estados de Mato Grosso, Rondônia e o sul dos estados do Pará e Amazonas, principalmente com a produção de grãos, açúcar, álcool e carne. Com a redução dos custos no transporte de cargas, com acesso mais rápido a vários portos, a região deve atrair grandes projetos e investimentos da iniciativa privada e, por conseguinte, gerar empregos, renda e melhoria da qualidade de vida para os habitantes.



Clique e acesse com seu usuário para ter todos os recursos

« Voltar

As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do site Revista Ferroviária.

 Notícias Relacionadas
Governo de MT a um passo de concretizar VLT
Assinado acordo sobre trecho da Ferrovia Norte-Sul
MT avalia logística para fiscalizar transportes

Nenhum comentário:

Postar um comentário