terça-feira, 5 de julho de 2011

Ferrovia Transnordestina - Instalação de trilhos parou

05/07/2011 - Blog do Crato

Mais uma obra do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) está parcialmente paralisada no Cariri.

A colocação dos trilhos foi interrompida. A empresa Tiisa espera a reabertura dos cortes das barreiras - Foto Antonio Vicelmo - A instalação dos trilhos da Ferrovia Transnordestina parou no Sítio Queimada, Município de Abaiara.

Abaiara - Mais uma obra do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) está parcialmente paralisada no Cariri. A instalação dos trilhos da Ferrovia Transnordestina, que foi iniciada no fim do ano passado, parou no Sítio Queimada, Município de Abaiara, a 10 quilômetros de Brejo Santo. A empresa Tiisa, que está executando a obra, espera a reabertura dos cortes das barreiras que está sendo feito pela construtora Pollian. Enquanto isso, estão sendo transportados os trilhos e os dormentes para o local onde se encontra o pórtico, uma estrutura de metal que coloca os dormentes no leito da ferrovia. Cada trilho mede 125 metros e pesa 8 toneladas, enquanto o dormente pesa 390 quilos.

Seis meses depois de o ex-presidente Lula ter inaugurado os primeiros 15 quilômetros de trilhos, a partir do marco zero, em Missão Velha, a obra não saiu do Município de Abaiara. Até agora, só foram instalados 27Km de trilho. Faltam, portanto, 69 para chegar a Salgueiro, centro dos ramais que unirão três estados nordestinos: Ceará, Pernambuco e Piauí.

Nos primeiros meses do ano, de acordo com os engenheiros da construtora Odebrecht, empresa responsável pela execução da obra, os trabalhos foram paralisados em decorrência do inverno. A previsão inicial era de que seriam implantados 500 a 800 metros de trilhos por dia.

Além disso, outros cinco estados nordestinos terão benefícios diretos com a finalização da obra. No total, a ferrovia custará R$ 5,42 bilhões, quase R$ 1 bilhão a mais que o previsto no orçamento inicial. A data de término da obra também foi revista. O trecho que deveria estar pronta este ano - entre Eliseu Martins e Suape - só ficará pronto em outubro de 2012 e a parte do Ceará, em 2013.

Para instalação dos trilhos é necessária a conclusão de bueiros, pontes e viadutos por onde passarão os trens, bem como toda a parte de escavações e aterramentos necessários que é a parte mais complicada do projeto. Somente após essa etapa é que entra em cena a superestrutura, que é a instalação de dormentes, trilhos e da brita, as porções de pedras que acompanham o trajeto.

Embora sejam menos acidentados que no Sudeste, os terrenos recebem tratamento pesado para ficarem planos. A terra retirada de áreas mais altas é usada para cobrir vales e deixar a estrada reta, pronta para a instalação dos trilhos.

O trecho de 96Km, entre Missão Velha e Salgueiro, faz parte da Ferrovia Transnordestina que tem 1.728 km de extensão e interliga os portos de Pecém (CE) e Suape (PE) à cidade de Eliseu Martins no Piauí.

Desenvolvimento

A esperança é de que a obra, após a conclusão, traga facilidades e desenvolvimento para a região. De acordo com informações divulgadas pela Transnordestina Logística, empresa que administra a obra, a ideia do projeto é tornar a Nova Transnordestina numa ferrovia de classe mundial em velocidade e volume de carga. Quando estiver pronta, poderá transportar 30 milhões de toneladas por ano, com velocidade de até 80 km/hora, tendo como principais cargas minério de ferro, gipsita e grãos, além de cimento, combustíveis e fertilizante.

Por enquanto, só tem trazido problemas para as propriedades rurais cortadas pela ferrovia. Em alguns trechos, os aterros e os cortes dividiram o terreno no meio, o que dificulta a circulação dos animais. A reportagem tentou um contato com a Odebrecht. Os telefones repassados pela Assessoria de Imprensa não atenderam.

Nenhum comentário:

Postar um comentário