terça-feira, 19 de abril de 2011

Edital do TAV pode ter ajustes

18/04/2011 - Revista Ferroviaria

O diretor da Agência Nacional dos Transportes Terrestres (ANTT), Bernardo Figueiredo, afirmou durante coletiva de imprensa realizada nesta segunda-feira (18/04), em seminário promovido pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), que o edital do TAV não será mais alterado.

Segundo ele, alguns ajustes para melhorar a participação do investidor ainda podem ser feitos, como o ponto que estipula que o governo decidirá sozinho qual empresa fará a transferência de tecnologia, mas os tópicos principais – como modelo, prazo de concessão e teto tarifário – não serão mudados.

O diretor da ANTT descartou a possibilidade de um novo adiamento do leilão, que foi reprogramado para 29 de julho. “Acho que temos condições de ter pelo menos três consórcios participando, mas se tiver só um, vai ser o que nós precisamos”, declarou.

Com relação à polêmica sobre o custo da obra, orçado em R$ 33 bilhões, Figueiredo garantiu que, caso haja excedente, o governo não cobrirá o custo. Segundo ele, se o gasto chegar aos R$ 50 bilhões, por exemplo, o consórcio vencedor terá menos lucro. A estimativa, no caso, é que o lucro caia de 10,5% para 7,5% ao ano.

Figueiredo também ressaltou que o governo irá trabalhar para que o grupo vencedor do consórcio consiga entregar pelo menos um trecho do TAV antes das Olimpíadas, em 2016. O prazo para conclusão previsto em edital é de seis anos, e a previsão é de que as obras iniciem no segundo semestre de 2012.

Nenhum comentário:

Postar um comentário