terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Movimentação ferroviária em Santos cresce 75% em quatro anos

21/12/2010 - A Tribuna On-line

Durante quatro anos de concessão, a movimentação ferroviária no Porto de Santos, operada pela América Latina Logística (ALL) cresceu 75%. Durante o 3º trimestre deste ano, o volume de carga transportado foi de 5,2 milhões, enquanto no mesmo período de 2006, o valor chegou apenas a 3 milhões de toneladas.

O aumento é reflexo dos novos contratos e também do forte investimento em melhoria no Porto de Santos e em toda a malha de escoamento. Somente na Cidade, a ALL aplicou R$ 70 milhões para a remodelação das linhas principais do corredor de exportação e obras do desvio da perimetral.

Pelos trens da ALL foram transportados mais de 4,7 milhões de toneladas de produtos. O aumento da movimentação se dá pelo volume considerável de grãos originados no Mato Grosso (MT), que atingiu 2,5 milhões de toneladas, e pelo pico da safra de açúcar com origem no interior de São Paulo, que superou 1 milhão de toneladas no trimestre. Em 2006, ano comparado ao atual, o transporte dos dois produtos juntos não alcançou 2 milhões de toneladas.

Outro fator fundamental para o escoamento de produtos está diretamente relacionado à gestão. Com medidas meramente operacionais, a empresa conseguiu diminuir o giro de composições. Para descarregar uma composição no Porto de Santos levava-se em média 80 horas e hoje caiu para 40 horas, contabilizando o tempo de entrada, descarregamento e retorno para os pontos de carregamento no interior paulista e mato-grossense. Em média, uma composição de 85 vagões retira mais de 270 caminhões das rodovias.

INVESTIMENTOS

Desde que a ALL assumiu o controle da Brasil Ferrovias (Ferroban, Ferronorte e Novoeste) em maio de 2006, adotou uma série de ações para aumento da produtividade e da segurança da operação ferroviária de cargas no estado de São Paulo. Já foram investidos mais de R$ 500 milhões na malha paulista, distribuídos em novos ativos, como locomotivas e vagões, além de melhorias na estrutura de via permanente.

A empresa realizou uma reforma completa na malha com substituição de 700 mil dormentes e de 60 mil toneladas de trilhos. A malha era composta por trilhos perfil 50 e atualmente, grande parte dessa malha possui o perfil 60, mais robusto, resistente e com maior capacidade de carga. Também foram aplicados seis mil vagões de pedra para dar mais estabilidade na movimentação dos trens.

Entre 2000 e 2009 o volume de produto via ferrovia em Santos cresceu 663%, saindo de pouco mais de dois milhões de toneladas para mais de 15 milhões. O market share que era de apenas 12%, antes de a ALL assumir, saltou para 20%. De acordo com o Plano Nacional de Logística de Transportes (PNLT) e a participação das ferrovias no País deve alcançar 35% no período de 15 anos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário