quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Valec divulga licitação de 3 trechos da Oeste-Leste


22/09/2010 - Governo do Estado da Bahia 

A Valec Engenharia, Construções e Ferrovias S.A., divulgou, nesta quarta-feira (22), no Diário Oficial da União, o resultado parcial do edital nº 5/2010, referente à licitação de três lotes da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol). Os quatro trechos restantes, do total de sete a serem construídos na Bahia, seguem em processo licitatório, com previsão de divulgação no próximo dia 29.

O valor final dos três lotes (1, 2 e 4) foi de aproximadamente R$ 1,9 bilhão. O primeiro lote vai do Rio da Preguiça (km-1401) até o Terminal de Ilhéus (km-1526), a ser construído pelo Consórcio SPA/ Delta/ Convap. O lote dois, de Riacho Jacaré   (km- 1283) até o Rio da Preguiça (km 1402), a ser construído pelo Consócio Galvão/ OAS, e o quatro, do Riacho da Barroca (km-990) até o Rio de Contas (km-1168), sob a responsabilidade do Consórcio Andrade Gutierrez/ Barbosa Mello/ Serveng.

A expectativa é de que a Ferrovia esteja concluída até o final de 2012. De acordo com o secretário extraordinário da Indústria Naval e Portuária, Roberto Benjamin, o processo de construção vai gerar sete mil empregos diretos. “Estamos trabalhando a partir de um grupo multi-secretarias para garantir treinamento e qualificação profissional para que os empregos fiquem nas cidades atravessadas pela Ferrovia”.

A Fiol interligará a Bahia ao Tocantins. Ilhéus é o ponto final desta malha ferroviária, que sai de Figueirópolis (TO) e percorre 1.490 quilômetros até chegar ao mar, entrando na Bahia pelo município de São Desidério, na região oeste. No caminho, passa por 32 municípios baianos e cruza o estado de ponta a ponta, no sentido oeste-leste. Também interligará a outros estados pelo cruzamento com a Ferrovia Sul-Norte, que terá cerca de três mil quilômetros, entre o Pará e São Paulo.

A Valec Engenharia, empresa do Ministério dos Transportes especializada na construção de ferrovias, desenvolveu o projeto. Ele foi inspirado no projeto elaborado pelo engenheiro baiano Vasco Neto, há cerca de 50 anos. Para realizar a construção, a obra foi dividida em três etapas - a primeira, entre Ilhéus e Caetité, terá 530 quilômetros, a segunda, entre Caetité, Barreiras e São Desidério, 413 quilômetros, e a terceira, de São Desidério a Figueirópolis (TO), 547 quilômetros.

Logística
O projeto dinamizará o escoamento da produção, sobretudo de minérios, do estado da Bahia. Incluída entre as prioridades do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), a Fiol envolverá investimentos estimados em R$ 6 bilhões até 2012, formando um corredor de transporte que otimizará a operação do Porto de Ponta da Tulha e ainda abrirá nova alternativa de logística para portos no Norte do país atendidos pela Ferrovia Norte-Sul e Estrada de Ferro Carajás. Isso proporcionará, segundo o secretário de Planejamento, Antônio Alberto Valença, um salto no crescimento econômico estadual, na medida em que resolve os atuais gargalos logísticos de escoamento produtivo. “Trata-se de um investimento integrado e complementar ao do Porto Sul, que amplia os limites do setor produtivo, garantindo a infraestrutura necessária para o crescimento da Bahia a taxas elevadas”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário