quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Mato Grosso descobre jazida de minério de ferro


01/09/2010 - Reuters


Trabalhos de prospecção mineral feitos em Mato Grosso identificaram uma jazida de minério de ferro com tamanho estimado em 11,5 bilhões de toneladas, informou o governo do estado nesta quarta-feira. A área no município de Mirassol d'Oeste é particular e pertencente à empresa mineradora GME4, que possui os direitos de prospecção do local.
O grupo Opportunity, do banqueiro Daniel Dantas, tem participação majoritária na GME4, de 62%, segundo a assessoria de imprensa da instituição.
- É o nosso pré-sal - comemorou o governador de Mato Grosso, Silval Barbosa (PMDB), que tenta a reeleição.
A mina de Carajás, considerada a maior a céu aberto no mundo, possui reservas de aproximadamente 3 bilhões de toneladas de minério. A descoberta das reservas de minério em Mato Grosso foi realizada em meio a pesquisas do governo local com o objetivo de localizar jazidas de potássio e fosfato, já que o estado é um grande produtor agrícola.
O conteúdo de ferro no minério da jazida é de aproximadamente 41%, informaram membros do governo local durante entrevista coletiva. O de fosfato é de 6,5%. Apesar do grande tamanho potencial da jazida, o teor de ferro é inferior ao encontrado nos melhores projetos no Brasil, como o de Carajás, da Vale, que possui 67% por cento de teor de ferro.
O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), Rui Prado, estima que, se confirmada a capacidade de produção local, o setor poderá economizar R$ 400 milhões ao ano com a compra de fertilizantes à base de fosfato.
De acordo com o Departamento Nacional de Pesquisa Mineral (DNPM), as reservas de minério de ferro conhecidas no Brasil até 2007 eram de 17,38 bilhões de toneladas, com variados teores de ferro.
Nos trabalhos de pesquisa em Mato Grosso, feitos em parceria com o governo federal no Programa Fosfato Brasil, também foram identificados reservatórios de fosfato de 427 milhões de toneladas.
- O teor de 41% não é a maior maravilha do mundo, mas pode ser viável. A principal questão é como escoar essa produção - avaliou a gestora do Banif Investment Bank e especialista em mineração Catarina Pedrosa.
Desafio é logística
A logística para o desenvolvimento da mineração no Estado pode ser um desafio.
O Mato Grosso, o maior produtor de soja do Brasil, já sofre para escoar sua safra por não contar com um sistema de transporte com custos competitivos.
Distante dos portos exportadores, ferrovias e hidrovias ainda precisam ser ampliadas para que qualquer produção possa ganhar o mercado internacional com menores custos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário