terça-feira, 21 de setembro de 2010

Governo inaugura 256 km da Ferrovia Norte-Sul


21/9/2010 - Portal CNT

Foto: Presidência da República
Nessa terça-feira (21), o presidente Lula inaugurou o trecho da Ferrovia Norte-Sul que liga o Pátio Multimodal de Colinas do Tocantins ao Pátio Multimodal de Palmas/Porto Nacional. São 256 km que receberam R$ 1,1 bilhão em investimentos. As obras tiveram início em 1987.

Os Pátios Multimodais de Palmas/Porto Nacional e o de Guaraí/Tupirama também foram entregues para comercialização nessa terça.

Pelo projeto inicial a Ferrovia Norte-Sul tinha 1.574 km de trilhos, passando por Maranhão, Tocantins e Goiás. Em 2006, o trecho Açailândia-Belém foi incorporado, assim como, em 2008, a ligação com a cidade paulista de Panorama. Com isso, o traçado da ferrovia, quando concluída, será de 2.760 km de extensão.

De acordo com o Ministério dos Transportes, há 13 lotes da Ferrovia Norte-Sul em obras, que somam 1 mil km e geram 16.650 empregos diretos e 50 mil indiretos. Segundo o presidente da Valec, José Francisco das Neves (Juquinha), quando a ferrovia estiver pronta serão 270 mil empregos gerados. “A Ferrovia Norte-Sul é a espinha dorsal da malha ferroviária, porque une as economias do Norte e Nordeste com a do Sul-Sudeste, passando pelo Centro-Oeste”, salientou.

Em seu discurso, o presidente Lula afirmou que o trecho da ferrovia que liga Porto Nacional à Anápolis (GO) vai estar pronto até 20 de dezembro. Já o trecho que segue até Estrela do Oeste, em São Paulo, será anunciado ainda em outubro.

Lula disse, ainda, que na próxima semana serão lançadas as obras da Ferrovia Oeste-Leste, que vai interligar Porto de Ilhéus, na Bahia, à Figueirópolis, no Tocantins, conectando as ferrovias Norte-Sul e Oeste-Leste.

O presidente Lula também destacou os investimentos que o seu governo tem feito neste modal: “estamos fazendo 1.720 km de ferrovias, ligando Pernambuco ao Ceará, o Porto de Suape ao Porto de Pecém, passando por Eliseu Martins, no Piauí, para pegar a soja, e indo até Alagoas e Sergipe".

Segundo ele, mais de 6 mil km de ferrovias serão inaugurados até 2013. ”Isso vai baratear o custo da produção, vai ajudar os produtores rurais e os empresários, e ainda vai significar desenvolvimento, mais empregos, mais salário e mais poder de compra. Além de melhorar a qualidade de vida da população”, concluiu.



Érica Abe
Redação CNT

Nenhum comentário:

Postar um comentário