terça-feira, 21 de setembro de 2010

Brasil pode ter três novos projetos de TAV


20/09/2010 - O Globo 

O ministro dos Transportes, Paulo Passos, disse nesta segunda-feira que a transferência de tecnologia seria o principal critério para a avaliação das propostas dos consórcios internacionais para a construção do trem de alta velocidade (TAV) entre o Rio e São Paulo. Em Berlim para expor o projeto na maior feira de transporte ferroviário do mundo, a Inno Trans, que começa nesta terça-feira, Passos afirmou que ao absorver a tecnologia do trem de alta velocidade o Brasil poderia realizar três novos projetos, com data ainda não definida, entre São Paulo e Curitiba, entre Campinas e Belo Horizonte, e entre Campinas e Triângulo Mineiro.

- Nós não vamos fazer imediatamente, mas vamos logo fazer os estudos de viabilidade - adiantou o ministro.
De acordo com Paulo Passos, esses planos são a longo prazo e não dependem do candidato à Presidência que vencerá as eleições de outubro. O plano seria independente do governo. O Brasil vai não apenas encomendar mas também "aprender a fazer" e adquirir uma tecnologia que poderá impulsionar diversos setores industriais.

O processo de estudos de viabilidade para o primeiro TAV brasileiro demorou bem mais tempo do que o previsto. Os planos anteriores eram de que a ligação de alta velocidade entre as duas maiores cidades brasileiras estivesse pronta já para a Copa de 2014. Mas, em consequência do estudo demorado, do qual participaram diversos ministérios e, por fim, o TCU (Tribunal de Contas da União), a abertura da licitação ocorreu bem mais tarde.

Os cálculos são de que o projeto, com investimentos de cerca de R$ 34 bilhões, estará concluido em aproximadamente cinco anos.

- Pode até ser um pouco antes, mas isso vai depender das propostas apresentadas - disse Paulo Passos, lembrando que até agora não há preferência por nenhum país.

Os consórcios internacionais poderão apresentar suas propostas até o final de novembro, sendo que no dia 16 de dezembro deste ano será anunciado o vencedor da concorrência pública.

Segundo Paulo Passos, o interesse das grandes empresas internacionais é enorme. Assim que foi anunciada a presença da delegação brasileira na Inno Trans, choveu de convites da politicos e grupos empresariais para encontros em Berlim. Nesta quarta-feira, ele vai ter encontro com o ministro dos Transportes da Alemanha, Peter Ramsauer.

Consórcios da Coréia do Sul, do Japão, da França e da Alemanha já anunciaram que vão apresentar uma proposta para o projeto. Além disso, um grupo chinês está estudando a viabilidade e um consórcio espanhol está em processo de decisão.

Os planos de investimentos no setor ferroviário serão temas de exposições da delegação brasileira (da qual fazem parte ainda o vice-ministro dos transportes, Marcelo Perrupato, Hélio França, da Agência Brasileira de Transportes Terrestres, ANTT, e Adely Branquinho, do BNDS) na Inno Trans nesta terça e quarta-feira.
- Com previsão de crescimento de 7% a 8%, o Brasil tornou-se um alvo ainda maior do interesse do mundo - concluiu Paulo Passos.

Um otimismo de uma crise superada pode ser visto no Parque de Exposições de Berlim, onde o número de participantes aumentou em 330 em comparação com o ano passado. Mais de 2.200 expositores de 45 paises deverão mostrar as novidades no setor de transportes ferroviários.

Na feira, que termina na sexta, serão mostradas as novidades tecnológicas no setor dos trens de alta velocidade, transporte que é na Europa uma opção ao avião.

Nenhum comentário:

Postar um comentário